Deputado pede que PGE desista de ação contra parlamentares que visitaram Dório Silva

Deputado Enivaldo dos Anjos

O deputado Enivaldo dos Anjos (PSD) fez um apelo durante a sessão ordinária virtual da Assembleia Legislativa desta quarta (17). Ele pediu que Procuradoria-Geral do Estado desista da notícia de crime contra Capitão Assumção (Patriota), Lorenzo Pazolini (Republicanos), Vandinho Leite (PSDB), Carlos Von (Patriota), Danilo Bahiense (PSL) e Torino Marques (PSL). Os seis parlamentares fizeram uma visita ao hospital Dório Silva no último dia 12 para verificar como estava sendo feito o atendimento a pacientes com a covid-19 e foram acusados de invadirem o hospital e colocarem os pacientes em risco.

“Queria fazer um apelo em nome da Assembleia para que o procurador do Estado retirasse a ação porque eu não entendo que é conveniente o Poder Executivo usar a ação para contestar a atuação parlamentar. Para um governo de centro-esquerda não é de bom alvitre a Procuradoria-Geral do Estado propor uma briga, uma medida proibitiva de desempenho de função dos deputados. Gostaria que isso acontecesse porque vai forçar a Assembleia a agir para defender os deputados”, afirmou o parlamentar.

Enivaldo disse ainda que o debate sobre a ação dos deputados deve ser entre a base do governo e os oposicionistas. “Essa é a função do Parlamento. Quando a PGE se mete nessas questões demonstra que o governo não tem representante na Assembleia. E nossa base é forte, combativa e tem que tomar atitude. O governo precisa encaminhar um oficio indicando o líder formalmente. O deputado Dary Pagung (PSB) tem tido uma atuação brilhante, mas precisa ser efetivado na função”, afirmou.

O deputado, que faz parte da base do governo, ainda complementou: “Temos que deixar os problemas da Assembleia com a Assembleia. Não considero inteligente por parte da PGE criar confronto com o Parlamento. Isso não é bom, não é salutar. Podemos ter que nos manifestar. O governo não pode exigir da base tomar decisão política. Sou Assembleia e não concordo com essas interferências. Apelo para que retire essa medida e deixe a base para defender o governo e atuar nesse momento”.

A reportagem entrou em contato com a PGE e aguarda posicionamento do órgão sobre a solicitação do deputado.

Fogos

Os deputados aprovaram durante a sessão o requerimento de urgência para votar o projeto de lei que obriga estabelecimentos que vendem fogos de artifício que realizem a identificação dos compradores e encaminhem às polícias Civil e Militar. Com o requerimento aprovado, a matéria deve ser votada na próxima sessão.

O projeto, de autoria de Enivaldo dos Anjos, tem objetivo de identificar grandes compradores e evitar que esses aparatos sejam usados pelo tráfico de drogas, como sistema de informação. Toda vez que a polícia faz alguma operação, os chamados “fogueteiros” soltam os fogos e avisam os traficantes.

“Através do projeto vamos ter um cadastro dos grandes compradores de fogos, que distribuem para traficantes. A polícia vai poder saber prender quem vende e aquele que entrega o material aos traficantes”, disse o deputado Lorenzo Pazolini.

“É uma reivindicação antiga da polícia em função da dificuldade que a polícia encontra onde faz suas operações. São usados para ajudar o tráfico e fica difícil identificar quem está colaborando com os traficantes”, afirmou o deputado Danilo Bahiense.

Informações: Folha Vitória

Leia mais

Leia também