Deputado cobra suspensão de pedágios em ponte e rodovias

O deputado estadual Enivaldo dos Anjos, líder do PSD na Assembleia Legislativa, fez duras críticas às concessionárias que administram a Terceira Ponte (Ponte Darcy Castello de Mendonça) e a Rodovia do Sol, que liga Vitória e Vila Velha a Guarapari e ao litoral Sul, e a BR 101 no Espírito Santo, por continuarem cobrando pedágio dos usuários durante o período em que todos os esforços estão sendo no sentido de controlar a disseminação do novo coronavírus, causador da doença COVID-19.

O parlamentar lembrou que a determinação do Ministério da Saúde é para o isolamento social, com a circulação somente das pessoas cujo trabalho é essencial ao atendimento da população. “Isso significa que quem está circulando está envolvido com os serviços essenciais, especialmente na área de saúde. Ou seja, a Rodosol e a Eco-101 estão cobrando pedágio para esse pessoal trabalhar. Não apenas o pessoal da saúde e segurança, mas também de caminhoneiros que não param para garantir o abastecimento do Brasil”, disse Enivaldo.

O líder do PSD participou, na última sexta-feira (27), da sessão virtual realizada pela Assembleia Legislativa, quando, dentre outros projetos de urgência, foi aprovada a decretação do estado de calamidade pública no Espírito Santo até 31 de julho. Isso significa que, durante esse período de vigência do decreto, o Executivo fica dispensado de cumprir resultados fiscais e de limitar empenhos estabelecidos pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Em resumo, o Executivo pode remanejar, livremente, recursos orçamentários para atender à calamidade.

De acordo com Enivaldo dos Anjos, é preciso a humanidade repensar sua vida, “a começar por cada um de nós”. E completa: “Isso inclui empresas que são concessionárias de serviços públicos. Já existem providências relacionadas a empresas de energia e água, então é preciso que os governos peçam às concessionárias de rodovias estaduais e federais que suspendam a cobrança do pedágio até passar a fase de calamidade. É preciso ter sensibilidade nesse momento”.

Além disso, o deputado Enivaldo dos Anjos alertou para o fato de que a própria cobrança de pedágio em si pode ser um fator de propagação do vírus: “As praças de pedágio não aceitam pagamento em cartão, somente em dinheiro e todos sabemos que hoje as moedas e o dinheiro em papel podem transportar o vírus de um infectado para a outra pessoa”.

Leia mais

Leia também