Debate ‘Mais Mulheres na Política’ seguirá para o interior do Espírito Santo

O Programa Agenda Mulher realizou, nesta sexta-feira (04), o último dia de palestras do “Mais Mulheres na Política Capixaba”, evento que tem o objetivo de inspirar o empoderamento feminino no processo democrático. A partir do dia 15 de setembro, o ciclo se torna itinerante e seguirá uma rota pelo interior do Espirito Santo, realizando palestras com os mesmos temas para as mulheres capixabas.  

Organizado pela Vice-Governadoria do Estado, com o painel: Eleições 2020: a mulher candidata, o evento abordou as dificuldades da participação das mulheres no processo democrático diante da desigualdade na distribuição  dos recursos financeiros.

Os debates desta sexta-feira giraram em torno de como a oportunidade para as mulheres interfere diretamente  na composição  política do processo democrático. A  presidente da Associação Visibilidade Feminina, Polianna Pereira dos Santos, explicou que a concepção da política como área de atuação masculina é uma construção social.

“E uma formação sócio-histórico-cultural que estamos inseridos. Ainda interpretamos a mulher como aquela responsável pelo espaço privado, ou seja, a organização e gestão do lar. Dentro de um contexto social temos uma construção que parte dessa premissa que existe uma diferença entre o espaço público e espaço privado. Isso cria uma situação de desigualdade”, disse.

A presidente da Comissão Especial de Estudo da Reforma Política da OAB/Federal, Luciana Nepomuceno, detalhou a atuação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em aplicar o percentual de 30% da cota de gênero.

“Sabemos que a ausência de recursos e ausência de visibilidade é um problema recorrente, não decorrente da pandemia em si, mas que atinge frontalmente essas candidaturas. Não podemos falar em processo eleitoral e pensar em candidaturas viáveis, se não injetarmos recursos financeiros e viabilizar tempo de televisão e rádio”, analisou.

Luciana Nepomuceno falou ainda sobre a contribuição dos partidos políticos na efetivação da mulher na política. “O objetivo de se transformar aquela cota de gênero, que na verdade é uma porta meramente formal, que ela se transforme em candidaturas efetivas. Mais uma vez vamos na questão da autonomia partidária e das oligarquias que concentram a grande porcentagem dos recursos públicos para o fomento das candidaturas pertinentes às elites, isto é, aquele grupo que comanda o partido. Deixando, assim, essas mulheres à margem”, afirmou a advogada.

O evento tem parceria com o Secretaria de Economia e Planejamento (SEP); Escola de Serviço Público do Espírito Santo (Esesp); Escola Superior da Procuradoria Geral do Estado do Espírito Santo (ESPGE); Rádio e Televisão Espírito Santo (RTV), Comissão de Direitos Políticos e Eleitorais/Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/ES) e Tribunal Regional Eleitoral (TRE-ES).

O ciclo de palestras está disponível no site da Rede Gazeta, no Facebook da TV Educativa ES,  e posteriormente no YouTube da TVE.

Leia mais

Larápios arrombam estabelecimento comercial no centro de Água Doce do Norte

O comerciante Aécio Vieira Ribeiro, proprietário de um hortifrúti no centro de Água Doce do Norte, na manhã de quarta-feira (05/08/2020), quando chegou para...

Ministério cria programa para diminuir taxas de sub-registro de nascimento

Ministério vai doar equipamentos para a implantação de Unidades Interligadas nos estabelecimentos de saúde em que se realizam...

Americano ganha duas vezes na loteria no mesmo dia

Após jogar nos mesmos números por 30 anos, um apostador do Colorado (EUA) foi finalmente recompensado: ele ganhou duas vezes no mesmo dia na loteria do estado,...

Em novo Mapa de Risco, Espírito Santo tem nove municípios em risco alto para a Covid-19

Número de municípios em riscos moderado e baixo aumentou. Pedro Canário, Nova Venécia, Alfredo Chaves e Marataízes passam a ser de risco alto.   O Governo...

Leia também