Cuba reafirma na ONU seu compromisso de alcançar plena justiça social


Falando na reunião de alto nível para celebrar o vigésimo aniversário da Declaração e do Programa de Ação de Durban, o presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, lembrou que a Constituição da nação prevê a igualdade das pessoas perante a lei.

Os cubanos recebem a mesma proteção e tratamento das autoridades e gozam dos mesmos direitos e liberdades e oportunidades, acrescentou ele.

Para avançar ainda mais o trabalho emancipatório da Revolução, o Plano Nacional contra o Racismo e a Discriminação no país caribenho foi aprovado em novembro de 2019, disse.

Este programa, acrescentou ele, é propício a um enfrentamento mais eficaz do preconceito racial e dos problemas sociais que ainda persistem em nossa sociedade.

O chefe de Estado também lembrou o apoio da ilha à erradicação do racismo fora de suas fronteiras.

“Milhares de cubanos apoiaram os movimentos de libertação nacional na África contra o vergonhoso regime do apartheid. Milhares de outros contribuíram com a sua solidariedade, especialmente na área da saúde”, sublinhou o presidente cubano.

Não vamos nos arrepender na busca da justiça social, disse ele. “Os povos do mundo sempre poderão contar com a contribuição de Cuba para que os compromissos que assumimos há 20 anos em Durban se tornem realidade”, concluiu ele.

A informação é da Prensa Latina.

O presidente de Cuba Miguel Díaz-Canel

O presidente de Cuba Miguel Díaz-Canel (Foto: Estudio Revolución-Cuba-Granma)