Cuba iniciará imunização em massa com vacinas próprias contra Covid-19


Michele de Mello, Brasil de FatoCuba começará sua campanha de vacinação massiva contra a covid-19, no próximo sábado (24), com as duas fórmulas mais avançandas: Abdala e Soberana 02. Nessa primeira etapa, as autoridades sanitárias buscam imunizar 1,7 milhão de cubanos.

Cerca de 11 mil postos de saúde se tornarão centros de vacinação, com uma capacidade para realizar 85 consultas simultâneas por dia. Estudantes do último ano do curso de medicina foram acionados para auxiliar na campanha. 

A ilha pretende vacinar toda a sua população até o final de 2021 e ainda oferece imunizar os turistas que visitarem o país. Cuba é a primeira nação latino-americana a desenvolver um imunizante próprio contra o novo coronavírus.

A vacina Abdala, desenvolvida pelo Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia de Cuba, já foi testada em 124 mil voluntários durante as distintas etapas dos testes clínicos. 

Já a vacina Soberana 02, desenvolvida pelo Instituo Finlay, tem duas combinações distintas que estão sendo testadas, ambas baseadas na proteína RBD (receptor-binding domain/domínio de união ao receptor), e usou como base um imunizante criado em 2004 contra o vírus Influenza.

Cuba atravessa uma segunda onda da pandemia de covid-19, registrando 1.006 novos casos nas últimas 24 horas. Até o  momento, a ilha caribenha acumula um total de 96.760 infectados, sendo que pouco mais de 5 mil estão ativos, e 547 faleceram pela doença, segundo dados do Ministério de Saúde Pública.

Com o aumento dos contagios, o governo cubano voltou a impedir a circulação interestadual e limitar a abertura do comércio. 

Cooperação 

A fórmula Abdala também será produzida na Venezuela e a proposta é que o imunizante abasteça um banco de vacinas dos países da Aliança Bolivariana dos Povos da Nossa América (Alba-TCP). 

Além disso, na última terça-feira (20), o presidente cubano Miguel Díaz Canel conversou por telefone com seu homólogo russo, Vladimir Putin para reforçar os convênios bilaterais relacionados ao combate à pandemia. 

(Foto: Divulgação)

Leia mais

Leia também