Cuba inicia primeira etapa de vacinação com fórmula própria contra a Covid-19


Michele de Mello, Brasil de FatoCuba inicia nesta quarta-feira (12) a vacinação com a Abdala e a Soberana02, duas das cinco fórmulas contra a covid-19 desenvolvidas pela ilha.

Essa primeira etapa é chamada de “intervenção sanitária” e o imunizante será aplicado a estudantes, trabalhadores da saúde e idosos que não foram vacinados nas fases de testes dos medicamentos.

A vacinação começa nas regiões mais afetadas pela pandemia: em Havana com cerca de 1,7 milhão de cubanos. Na região central, em Ciego de Ávila, cerca de 19 mil pessoas serão imunizadas.

No oriente do país, na cidade de Santiago de Cuba, cerca de 743 mil cubanos serão imunizados. Já no ocidente, em Pinar del Río e na Ilha da Juventude, serão aplicadas doses a 884 mil pessoas, de acordo com o Ministério de Saúde Pública da ilha. 

A partir de junho, quando for aplicada a segunda dose, o Centro de Controle Estatal de Medicamentos, Equipamentos e Dipositivos Médicos (Cedmed) irá dar o veredito final para iniciar a campanha de vacinação massiva em toda a ilha. 

“70% da nossa população estaria imunizada em agosto. Conseguir isto em meio à pandemia, com um bloqueio reforçado, é a expressão da unidade e do poder do talento de um povo pequeno com grandes sonhos”, afirmou o presidente Miguel Díaz-Canel. 

Cuba acumula 118 mil casos e 755 falecidos pelo novo coronavírus, segundo dados oficiais. Nas fases preliminares mais de 400 mil doses foram aplicadas em todo o país. De acordo com a diretora do Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia (CIGB), Marta Ayala Ávila, em 95% dos casos houve efeitos colaterais leves e em apenas 5% efeitos moderados. 

Olga Lidia Jacobo Casanueva, diretora do Cecmed, órgão regulador cubano, reafirma a eficiência da Soberana 02 e Abdala. “Os dois candidatos tem um perfil adequado de segurança. Comprovamos a formação de anticorpos e sua qualidade, que garante o aumento da resposta imune”, declarou a especialista.

A Venezuela assinou um acordo com Cuba para começar a produzir a fórmula Abdala nos próximos meses. Em junho, a ilha deve iniciar a produção em massa e a comercialização das suas vacinas.

A Argentina também dialoga com o goveno cubano para comprar e produzir os imunizantes, assim como a prefeitura de Belém do Pará busca adquirir doses da vacina para a campanha de imunização no município. 

Inscreva-se no canal Cortes 247 e saiba mais: 

(Foto: Reprodução | Reuters)

Leia mais

Leia também