Crise hídrica no Espírito Santo: Rio Santa Maria do Doce tem 3% da vazão esperada para período

 

Os reflexos da seca e da crise hídrica já estão afetando algumas regiões do Espírito Santo. Em São Roque do Canaã, interior do estado, o rio Santa Maria do Doce está com 3% da vazão normal esperada para o período. A reportagem é de Alessandro Bachetti, da TV Gazeta.

Na última sexta-feira (24), a Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh) declarou estado de atenção sobre a situação hídrica no Espírito Santo. A resolução com a declaração e recomendações de uso racional da água foi publicada no Diário Oficial do Estado.

A bacia hidrográfica do Rio Santa Maria do Doce fica na região Noroeste do Espírito Santo. O rio tem 90 km de extensão e nasce em Santa Teresa, passa por São Roque do Canaã e Colatina antes de chegar no Rio Doce.

Apesar da barragem, água parada, o mato e a areia são os sinais aparentes da falta de chuva no município e a seca do rio pode impactar o abastecimento de cerca de 6,5 mil moradores do Centro de São Roque do Canaã.

No ponto utilizado rotineiramente pela Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan), a captação de água não é feita há 15 dias e as bombas foram desligadas.

Para que a população não fique desabastecida, um ponto alternativo, localizado oito quilômetros acima do usual, está sendo utilizado.

Rio Santa Maria do Doce está com 3% da vazão esperada para o período no interior do ES

Rio Santa Maria do Doce está com 3% da vazão esperada para o período no interior do ES

De acordo com Antônio da Silva Ferreira, gerente da operação da Cesan, foi nesse mesmo ponto que foi feita a captação de água durante a seca de 2018. ” É a nossa segunda captação no rio Santa Maria, além das ouras captações”, explicou.

De acordo com a Cesan, por causa da crise hídrica, pontos de captação na região Sul do Espírito Santo também foram alterados.

A Agencia Estadual de Recursos Hídricos (Agerh-ES), declarou estado de atenção sobre a situação hídrica no Espírito Santo.

Fábio Ahnert, diretor-presidente da Agerh orientou que os agricultores sigam algumas orientações diante da situação.

“Recomendamos que eles façam a irrigação mais à noite ou logo no início do dia para aproveitar ao máximo a quantidade de água que eles usam”, disse.