Corpo de mulher é encontrado em cafezal e taxista é preso em Mantenópolis

Uma mulher, ainda não identificada, foi encontrada morta, sem roupas e com sinais de violência sexual, na manhã desta quarta-feira (14), no meio de um cafezal na localidade de Córrego do Portilho, em Mantenópolis. Um taxista de 47 anos foi preso por suspeita de ter cometido o crime. A reportagem é do Jornal A Tribuna.

A mulher foi encontrada morta e, segundo a Polícia Militar, apresentava sinais de violência sexual, pois havia sangue próximo aos órgãos genitais. Além disso, visualmente não havia sinais de perfurações de disparos de arma de fogo ou outras lesões. Diante das circunstâncias, a PM isolou o local até a chegada da perícia.

Ainda segundo os militares, até esse momento não haviam informações que pudessem levar a identificação da vítima, mas em seguida, a mãe da vítima apresentou-se no destacamento policial militar de Mantenópolis e reconheceu o corpo da vítima como sendo seu filha.

Segundo informações da mãe da vítima, a mulher sofria de transtornos psiquiátricos e fazia o uso constante de remédios controlados, além de consumir bebida alcoólica. Já testemunhas informaram que a vítima esteve na noite de terça-feira (13) frequentando um bar localizado no bairro Ipiranga, na mesma cidade. Os policiais estiveram no local e confirmaram a informação.

Segundo os funcionários do estabelecimento, a vítima saiu do local arrastada por um taxista no município. Ela foi colocada em um táxi Siena de cor preta, por volta das 21h40. A mulher estava consumindo bebida alcoólica no mesmo bar.

Imagens de câmeras de segurança de estabelecimentos próximos ao bar onde a mulher estava, mostram o taxista a arrastando pela calçada em direção ao veículo.

Diante dessas informações e das filmagens, os policiais militares iniciaram as buscas ao taxista que, juntamente com o veículo, foram localizados na zona rural de Mantenópolis.

Ao ser questionado o taxista relatou que transportou a vítima em seu táxi e a deixou próximo da escola Cristiano no Bairro Ipiranga, porém após ser informado pelos policiais que o local possui câmeras de videomonitoramento, o taxista mudou a versão dos fatos.

Ainda segundo a ocorrência registrada, a cada questionamento dos policiais o taxista, além de demonstrar nervosismo, também alterava os detalhes do fato, distorcendo as informações anteriores.

Durante busca minuciosa no interior do veículo foi encontrado sangue nos bancos traseiros do taxi, porém não se sabe se é compatível com o sangue da vítima, o veículo e o local do crime foram periciados e o taxista conduzido à Delegacia Regional de Mantenópolis.

Na delegacia, o acusado, teria afirmado que havia deixado a vítima no local onde foi encontrado o seu corpo, após ela passar mal. Afirmou ainda que não teve relações sexuais e que ela estava com suas vestes quando deixada no local.

Após ser autuado em flagrante pelo crime de estupro de vulnerável com resultado morte, ele foi encaminhado ao Centro de Triagem de São Domingos do Norte.

 


Leia mais

Leia também