Convênio ampliará exportações e beneficiará o setor

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e o ministro das Relações Exteriores, Carlos Alberto Franco França, participaram, nessa quarta-feira (16), da cerimônia de assinatura do Convênio de Cooperação Técnica e Financeira entre a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (APEX-Brasil) e o Centro Brasileiro dos Exportadores de Rochas Ornamentais (Centrorochas). A parceria firmada tem como objetivo ampliar as exportações, agregar valor e diversificar mercados para o setor de rochas ornamentais brasileiras.

O ministro Bento Albuquerque lembrou que o setor de rochas ornamentais se insere no Programa Mineração e Desenvolvimento (PMD), elaborado e lançado pelo Ministério de Minas e Energia (MME) em 2020. O ministro destacou a resiliência do setor, que superou os desafios da crise sanitária e, em 2021, conquistou desempenho que se igualou ao período pré-crise.

O setor mineral responde, atualmente, por aproximadamente 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional, gera cerca de 3 milhões de empregos diretos e indiretos e mais de R$ 50 bilhões em tributos e royalties por ano. O segmento de rochas ornamentais congrega 12,2 mil empresas, gera mais de 480 mil empregos diretos e indiretos e é composto, sobretudo, por empresas de pequeno e médio porte.

Produção e exportação brasileira

O Brasil é o quinto maior produtor e exportador de rochas ornamentais do mundo. Em 2020, o país exportou 2,2 milhões de toneladas, totalizando US$ 987,4 milhões. Entre os principais destinos das exportações brasileiras, destacam-se os Estados Unidos, a China, a Itália, o México e o Reino Unido.

Em termos de distribuição geográfica da produção nacional, a região Sudeste é responsável por 55,2%, seguida pelo Nordeste (35,5%). Entre os estados, o Espírito Santo ocupa a liderança (33%), seguido por Minas Gerais (20%), Bahia (13%), Ceará (11%) e Paraíba (5%).

Convênio ampliará exportações e beneficiará o setor

A parceria firmada tem como objetivo ampliar as exportações, agregar valor e diversificar mercados Foto: MME


Leia mais

Leia também