Contra a Covid-19, Putin decretará 10 dias de paralisação total na Rússia


O presidente da Rússia, Vladimir Putin, pretende realizar um feriado de 10 dias, com paralisação total do trabalho no país, para conter o avanço da pandemia do novo coronavírus. A proposta surgiu de uma agência de saúde russa, na sexta-feira, 23. O feriado reduziria as locomoções e uso do transporte público.

“Se eles acharem necessário, assinarei o decreto” para impor esses feriados, declarou Putin durante coletiva de imprensa.

Anna Popova, chefe do departamento sanitário, sugeriu a unificação dos feriados de 1 a 3, por ocasião do Dia do Trabalho, e de 8 a 10 de maio, pelo Dia da Vitória, que comemora a derrota nazista na Segunda Mundo Guerra.

Na quarta-feira, 21, em seu discurso anual à nação, Putin disse que pretendia obter imunidade coletiva na Rússia até o outono (no hemisfério norte). “A vacina é de suma importância hoje, permitindo que a imunidade coletiva se desenvolva no outono”, entre setembro e dezembro, disse Putin.

A vice-primeira-ministra Tatiana Gólikova informou que a Rússia fabricou 27,9 milhões de conjuntos de doses das vacinas contra o coronavírus, dos quais 15 milhões já foram fornecidos.

Em agosto de 2020, o país registrou a primeira vacina do mundo contra a Covid-19, a Sputnik V, desenvolvida pelo Centro Gamaleya, e posteriormente a EpiVacCorona, do Centro Vector, e a CoviVac, do Centro Chumakov.

Leia mais

Leia também