Conta bancária de Câmara de Vereadores é invadida no ES e R$ 125 mil são roubados

A conta bancária da Câmara Municipal de Dores do Rio Preto, no Sul do Espírito Santo, ficou zerada após ter sido invadida na última terça-feira (30). Ao todo, foram retirados R$ 125 mil, que seriam utilizados no pagamento de vereadores e servidores e de outras despesas do Legislativo.

Nenhum suspeito foi identificado, mas a suspeita é que o rombo tenha sido feito por um hacker.

De acordo com o presidente da Câmara, o vereador Ângelo Otaviano (PSB), a retirada ilgeal do dinheiro foi descoberta na manhã de quarta (31) pela contadora da casa. O Banco do Estado do Espírito Santo (Banestes) foi então procurado e descobriu-se que quatro movimentações haviam sido feitas no dia anterior.

“Havia três pagamentos de DUA no valor de R$ 35.250 cada uma e uma TED de R$ 20 mil, totalizando R$ 125 mil. Esse era todo o saldo que a gente tinha na conta. Temos R$ 30 mil aplicados, que eles não conseguiram mexer. Mas a conta corrente foi zerada”, detalhou o presidente.

Ângelo afirma que o banco abriu uma investigação e pediu um prazo de 30 dias para apurar como e por quem o dinheiro foi retirado. Para ele, a ação foi coordenada por um hacker.

“A suspeita é de hacker. Não temos pagamento de DUA na Câmara, não fazemos TED nesse valor. O movimento é mais para o pagamento de vereadores, de assessores e das nossas despesas fixas”, disse o presidente.

Ainda segundo ele, em 2019, a Prefeitura de Dores do Rio Preto também teve a conta bancária invadida. Na ocasião, foi roubada a quantia de R$ 1,7 milhão, que foi devolvida integralmente pelo banco.

O vereador explicou que o valor folha de pagamento da Câmara gira em torno de R$ 56 mil e o dinheiro roubado da conta serviria para pagar os salários do mês de março. Para que os compromissos financeiros da casa pudessem ser cumpridos, a prefeitura adiantou o repasse do duodécimo do mês de abril para o Legislativo.

O roubo da conta da Câmara da cidade foi denunciado à Polícia Civil e também será comunicado ao Ministério Público.

Leia mais

Leia também