Consumo aparente de bens industriais tem avanço de 5,2% em junho, aponta Ipea

A produção industrial interna não exportada, acrescida das importações, aumentou 5,2% em junho de 2020, na comparação com o mês de maio. Os dados se referem ao Indicador Ipea de Consumo Aparente de Bens Industriais. De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, esse número é um indicador de demanda interna, que sinaliza o reaquecimento da economia. 

Quando a comparação é feita com o mesmo período de 2019, no entanto, é percebido um recuo de 12%. No acumulado de 12 meses finalizados em junho, o recuo foi de 4,2%.  O resultado positivo de junho é reflexo de um avanço de 16,2% na produção de bens nacionais e uma redução de 22,5% nas importações de bens industriais. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (11).

Em relação às classes de produção, a demanda interna por bens da indústria de transformação apresentou um aumento de 2,8% em junho de 2020 em relação ao mês imediatamente anterior. Já a indústria extrativa mineral registrou um salto de 59,7% devido ao forte crescimento das importações de petróleo e gás natural.

Política governamental pode ampliar a produção nacional de minerais estratégicos

Líderes costuram acordo no Congresso para analisar veto sobre a desoneração da folha

De acordo com o levantamento do Ipea, 15 dos 22 segmentos analisados avançaram, com destaque para veículos, que teve alta de 72,4%.  Porém, quando a comparação é feita com junho de 2019, o resultado ainda se mostra negativo, com crescimento de apenas quatro segmentos. Neste caso, os destaques foram Outros equipamentos de transporte, exceto veículos automotores, com 41,6%, e farmoquímicos, com 15,4%. 

 

Foto: Arquivo/EBC

Leia mais

Leia também