Conheça os trabalhos de conservação do solo desenvolvidos pelo Incaper

A conservação do solo é essencial para o desenvolvimento sustentável da agricultura. Para conservar o solo, é fundamental mantê-lo coberto, evitando que a chuva atinja a superfície com elevada energia e que uma enxurrada adquira força e capacidade de arrastar partículas, ocasionando a erosão. Todas as práticas que causem menor revolvimento do solo e que mantenham uma cobertura constante são válidas.

A erosão é um processo natural que ocorre em qualquer tipo de terreno. No entanto, práticas inadequadas são capazes de aumentar a erosão, o que reduz a capacidade produtiva dos solos e gera um ciclo negativo, diminuindo a fertilidade do solo e a retenção de água. Nesta quinta-feira (15), Dia da Conservação do Solo, o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) destaca os trabalhos desenvolvidos e a importância da conservação do solo para uma agricultura produtiva e sustentável.

O plantio direto na palha é um sistema de cultivo muito eficiente e um dos que mais preservam o solo. Nesse sistema, o plantio ou a semeadura são realizados sobre restos culturais anteriores, sem revolvimento e exposição do solo pela aração, o que pode resultar no aumento da produtividade, concomitantemente à conservação. A pesquisadora do Incaper Penha Angeleti coordenou diversos trabalhos promissores com o plantio direto na palha, integrando Pesquisa e Extensão Rural de forma sinérgica. 

Os Sistemas Agroflorestais (SAFs) também apresentam lugar de destaque na conservação dos solos. Os SAFs promovem a cobertura adequada, incremento na fertilidade e outros benefícios, por meio da ciclagem de nutrientes. O Incaper desenvolve diversos trabalhos com esses sistemas, tendo como principal envolvido na área o pesquisador João Araújo.

O trabalho com a agricultura orgânica, que no Incaper é associado à atuação direta do pesquisador Jacimar Luis de Souza, se caracteriza por um conjunto de práticas conservacionistas que aumentam o teor de nutrientes no solo, o conteúdo de água e a proliferação e ação de microrganismos benéficos, por manter o solo coberto com diversos tipos de materiais orgânicos.

Os três exemplos de trabalhos realizados pelo Incaper para a conservação dos solos foram destacados pelo pesquisado do Instituto André Guarçoni. “Muitas linhas temáticas podem ser consideradas como promissoras, inclusive a educação ambiental. Outros pesquisadores e extensionistas do Incaper trabalham de forma integrada para o desenvolvimento de trabalhos em conservação do solo no Instituto”, completou Guarçoni.

O pesquisador do Incaper, que é doutor em Solos e Nutrição de Plantas, desenvolveu uma pesquisa sobre adensamento de plantio de café conilon, que também é eficiente na conservação dos solos. Ao se passar a densidade de plantio de 2.222 plantas por hectare para 5.000 plantas por hectare, os teores dos nutrientes fósforo e potássio aumentaram 315 e 189% na camada superior do solo e 947 a 248% na camada subsuperficial, respectivamente.

“Esses números impressionantes demonstram que o solo foi conservado com o plantio mais adensado, reduzindo a erosão e a consequente perda de água, de nutrientes e do próprio solo. Esse trabalho foi publicado na revista Semina Ciências Agrárias, em 2011, e, diante do quadro atual de degradação dos solos, não perde sua relevância e sua atualidade”, argumenta André Guarçoni.

“As tecnologias para uma efetiva conservação do solo nós já conhecemos e o refinamento desse conhecimento é contínuo. Entretanto, falta harmonia entre os pilares que tornam sustentável a conservação dos solos, que são a conscientização versus políticas públicas e legislação. Para isso, dependemos do presente e do futuro, bastando para isso corrigir os erros cometidos no passado”, acrescentou Guarçoni.  

Texto: Andreia Ferreira e André Guarçoni

Leia mais

Leia também