Comunidades Terapêuticas e grupos auxiliam quem precisa de apoio durante pandemia

Comunidades Terapêuticas e grupos auxiliam quem precisa de apoio durante pandemia

Organização Salve a Si se adaptou para não deixar de atender quem precisa de ajuda.
– Foto:
Divulgação/Salve a Si

A importância do manter o atendimento aos dependentes químicos fez com que a comunidades terapêuticas fossem consideradas pelo Governo Federal serviço essencial durante a pandemia do novo coronavírus. Assim, mesmo com o isolamento social provocado pela doença, as atividades não foram interrompidas. Grupos de apoio se adaptaram e fazem reuniões virtuais para não deixar desassistidos os que precisam de ajuda.

O Ministério da Cidadania alertou que a interrupção do acolhimento ao dependente químico nas unidades terapêuticas pode representar risco para sua vida. Isso porque trata-se de uma doença crônica, grave, que deve ser tratada de acordo com as necessidades clínicas do indivíduo. O alerta está em uma cartilha publicada pelo Ministério para orientar as comunidades terapêuticas sobre como deve ser o atendimento nessas instituições em meio à pandemia.

O Secretário Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Governo Federal, Quirino Cordeiro, publicou um vídeo explicando que todas as atividades estão sendo realizadas de maneira segura, orientadas pela Cartilha de Orientações para as Comunidades Terapêuticas.

Uma das organizações que funciona no modelo de comunidade terapêutica e se adaptou para não deixar de atender quem precisa de ajuda é a Salve a Si. Localizada na Cidade Ocidental (GO), a instituição tem cerca de 130 dependentes químicos acolhidos que continuam recebendo tratamento e participando de terapias.

Logo no início da pandemia, a Salve a Si implantou protocolos de isolamento para os recém-chegados e de higiene, como contou o fundador e administrador da organização, Henrique França. “Instauramos o protocolo de quarentena na casa de início de acolhimento que é a casa de desintoxicação e mudamos os dias de triagem para seis dias na semana, antes eram apenas três dias”, relatou. Atualmente, segundo ele, a instituição tem três casas em regime de quarentena. 

França disse que os acolhidos adotaram uma rotina de lavar as mãos cinco vezes ao dia e fazer uso de álcool gel. E também é feita a esterilização de utensílios da unidade. Ele destacou a importância de manter esses cuidados entre pessoas em tratamento de dependência química. “O organismo do dependente químico é debilitado e isso é um facilitador, pela baixa força imunológica, para se contaminar pela Covid-19”, explicou.

Cuidados a serem seguidos

A Cartilha de Orientações para as Comunidades Terapêuticas prevê que os novos acolhimentos deverão observar o período de isolamento social de, no mínimo, 14 dias, na instituição. Também orienta que os familiares evitem fazer visitas até o final da pandemia. E fala sobre os cuidados que os funcionários e fornecedores devem ter para entrar na instituição.

Traz recomendações quanto a higiene como a oferta de sabão e toalhas de papel para lavar as mãos. E que se mantenha o distanciamento mínimo de um metro entre as cadeiras nos refeitórios e camas nos dormitórios. 

O material ainda explica o que é a Covid-19, formas de transmissão, principais sintomas e como se proteger. E recomenda que casos suspeitos sejam encaminhados para unidades de saúde.

De acordo com a Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas, do Ministério da Cidadania, até o momento, não foi registrado nenhum caso de contaminação por coronavírus nas cerca de 500 comunidades terapêuticas financiadas pelo Governo Federal em todo o País. Juntas, essas unidades somam 11 mil vagas.

Apoio virtual

Os grupos de apoio também continuam dando suporte a dependentes químicos e seus familiares. Para garantir a segurança a todos, a saída encontrada foi fazer reuniões virtuais. O ministério da Cidadania listou algumas das organizações que podem ajudar durante distanciamento social:

Alcoólicos Anônimos do Brasil

Reuniões online diariamente às 20h com acesso pelo site (https://www.aa.org.br/reuniao-a-distancia).

Linha de ajuda 24h: (11) 3315-9333

Narcóticos Anônimos

Reuniões à distância, orientações pelo site.

Linha de ajuda: 0800 8886262 e 3003 5222 / Fale conosco faleconosco@na.org.br 

Associação Antialcoólica do Estado de São Paulo

Reuniões online via grupo de whatsapp, informações pelo site.

Amor Exigente

Reuniões semanais sobre Família, Sobriedade e Cônjuges.
Informações sobre como participar no site.

 Al-Anon do Brasil

Orientações e apoio através do site e redes sociais (https://www.facebook.com/AlAnonBrasil/) 

Leia mais

MUNIC 2017: Menos da metade dos municípios com abastecimento de água tem lei de proteção a mananciais

Menos da metade dos municípios brasileiros com abastecimento de água por rede geral de distribuição tem lei de proteção a mananciais. Os dados são...

Coronavírus: Barra de São Francisco entra na lista das cidades de risco alto

Barra de São Francisco e cidades vizinhas agora estão entre as cidade de risco alto no novo mapa de risco do Coronavírus no...

Câmara de Vitória aprova criação de auxílio emergencial de R$ 900

Valor será pago em parcela de R$ 300, durante três meses. Todos os vereadores foram favoráveis a aprovação do texto.

Comunidades terapêuticas poderão acolher jovens entre 12 e 18 anos

Entrada da Comunidade Terapêutica Bom Pastor em Ouro Branco (MG) Foto: Secretaria de Segurança Pública de Minas Gerais O Conselho Nacional de Políticas Sobre Drogas...

Leia também

ES: advogado em surto esfaqueia homem e ameaça explodir apartamento

Policiais e e bombeiros estão no local. Caso aconteceu em um condomínio na Serra, na Grande Vitória. Por Daniela Carla, TV Gazeta Um advogado de 47...

Emerson Lima e Obedis podem ter candidaturas barradas pela justiça

O vereador Emerson Lima (PSD) e o ex-vereador Obedis Teixeira Martins (PSD) podem ficar de fora da disputa eleitoral este ano. Com problemas na justiça,...