Comunidade internacional espera ação dos EUA na resposta à pandemia, diz mídia chinesa


Rádio China Internacional O governo de Joe Biden anunciou recentemente apoio à isenção da proteção de propriedade intelectual para vacinas contra Covid-19. Ao comentar o assunto, o jornal The Washington Post declarou que esta não é uma solução eficaz para aliviar a situação epidêmica atual, mas pode atrair rapidamente a atenção dos eleitores.

Do ponto de vista da viabilidade, a isenção desta proteção para as vacinas contra o novo coronavírus necessita de negociações entre os 164 membros da Organização Mundial do Comércio (OMC). Todos devem alcançar um consenso sobre a questão. Esse processo em geral pode levar muito tempo.

Na Cúpula Social da União Europeia (UE), os líderes europeus chegaram à unanimidade quanto à suspensão da isenção de propriedade intelectual para os imunizantes. Segundo a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, a prioridade atual é garantir o fornecimento suficiente e a distribuição justa de vacinas.

Os analistas ponderam que a crise global de vacinas não é causada pela questão de patentes, mas por um “nacionalismo de vacinas”. Os imunizantes dos EUA são fornecidos quase totalmente para seus próprios cidadãos. Por outro lado, o governo norte-americano também proíbe a exportação de insumo necessário para a produção de vacinas, o que dificulta a cooperação internacional no combate à pandemia.

Como a única superpotência do mundo, os EUA têm várias maneiras para resolver o problema de carência no oferecimento de vacinas, mas escolheu deliberadamente uma solução com pouco efeito. As considerações políticas por trás disso são obviamente muito mais do que humanitárias.

A China, por sua vez, já em maio do ano passado anunciou ao mundo que, depois de ser desenvolvida e colocada em uso com sucesso, sua vacina contra Covid-19 serviria como um produto público global. Até o momento, o governo chinês forneceu uma assistência de vacinas para mais de 80 países em desenvolvimento e exportou seus imunizantes a 50 nações. As vacinas chinesas têm preço acessível e são fáceis de ser armazenadas.

Atualmente, existe uma situação fora de controle da epidemia em alguns países. Diante da urgência, os EUA devem relaxar as restrições à exportação de vacinas e ajudar as nações e pessoas em crise.

(Foto: Reuters)

Leia mais

Leia também