Computador poderá reconhecer pacientes infectados pelo novo coronavírus

Pesquisadores da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), estão desenvolvendo um novo teste mais rápido e mais barato para diagnosticar a covid-19. Por meio de um sistema de inteligência artificial, o computador poderá reconhecer, através da saliva, se a pessoa tem características de um indivíduo infectado ou saudável, em até três minutos.

O doutor em ciências, Valério Garrone Barauna, que é um dos desenvolvedores da pesquisa, disse que se a tecnologia funcionar, ela poderá ser utilizada em aeroportos, eventos públicos, shopping e empresas, além da proposta de auxiliar o diagnostico clínico dos hospitais.

Como funciona ?

O projeto está na primeira fase de pesquisa, neste momento, os pesquisadores Valério Garrone Barauna e José Geraldo Mill, pretendem ensinar o computador a reconhecer o perfil de ligações químicas na saliva dos pacientes diagnosticados com covid-19 e diferenciar, automaticamente, do perfil de ligações químicas dos pacientes saudáveis.

“Primeiramente nós estamos analisando, em laboratório, a saliva ou swabs (cotonetes) de pacientes suspeitos da doença, e também, de pessoas que não possuem o vírus. Dessa forma, vamos entender quais as diferenças entre elas e fazer com que o computador consiga também identificar esse padrão. Para isso, vamos utilizar a inteligência artificial e espectroscopia no infravermelho (FT-IR)”, explicou.

Já na segunda fase será o desenvolvimento de um software que faça esse processo automático, similar a um reconhecimento de face ou de impressão digital. Os pesquisadores acreditam que se a tecnologia funcionar ela estará disponível em 30 dias.

Projeto

O projeto é o único (dentre as mais de duas mil propostas) coordenado por pesquisadores do estado e aprovado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Também conta com aprovação e financiamento da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação no Espírito Santo (FAPES).

A pesquisa está sendo realizada em colaboração com a Secretaria do Estado do ES, com o Vila Velha Hospital e com o Hospital Universitário da UFES (HUCAM).O projeto envolve a coleta em Hospitais da região da Grande Vitória, São Matheus e está em negociação para iniciar a inclusão de pacientes de Belo Horizonte-MG e Ilhéus-BA.

Caso o novo teste apresente eficácia, o custo estimado é de até R$75.

Leia mais

Leia também