Comissário para a Paz na Colômbia renuncia ao cargo em meio a mobilizações


TeleSurO Alto Comissário para a Paz na Colômbia, Miguel Ceballos, confirmou neste sábado que no dia 26 de maio renunciará ao cargo, decisão que havia comunicado ao presidente Iván Duque desde 2020.

“Disse ao Presidente da República que ia deixar o Governo desde o ano passado, concretamente a 22 de Dezembro, e reiterei que vou a 3 de Maio deste ano, data em que formalizei aquela decisão de ir a partir de Maio 26″, disse Ceballos em entrevista à mídia colombiana.

Ceballos disse que a sua decisão é por motivos pessoais, embora se estime que membros do partido no poder, a extrema direita do Centro Democrático, influenciaram a decisão do governante: “Sigo os apelos da minha consciência e no cumprimento das responsabilidades que minha alma escolheu, eu irrevogavelmente renuncio minha posição “, acrescentou.

Agora espera-se que o presidente Duque anuncie a substituição de Ceballos e leve as diretrizes para o diálogo com o Comitê Nacional de Greve, já que o governante cessante representou o Governo na mesa de negociações com os dirigentes da greve nacional.

Ceballos foi fortemente criticado por sua gestão como alto comissário, ao liderar a ruptura do diálogo com a insurgência do Exército de Libertação Nacional (ELN) em Havana e foi um dos primeiros a estigmatizar as massivas mobilizações surgidas no país desde o no último dia 28 de abril.

Após confirmar sua renúncia ao cargo, o senador Gustavo Bolívar destacou que durante sua gestão Ceballos não avançou na pacificação do país nem na implementação dos Acordos de Paz entre o Estado e as ex-Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia – Exército Popular (FARC-EP).

“Miguel Ceballos era o Alto Comissário da Guerra. Nunca trabalhou pela Paz. Se havia alguém neste governo que seguiu à risca a tarefa de destruir a paz, foi esse triste personagem. Muito bem. Os territórios festejam”, Senador Bolívar afirmou.


Leia mais

Leia também