Com semestre especial, matrículas da Ufes começam em agosto

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) definiu que as matrículas para o semestre letivo especial de 2020 poderão ser feitas de 31 de agosto a 2 de setembro. O retorno das aulas, inicialmente em modalidade não presencial, vai acontecer no dia 9 de setembro, com término em 15 de dezembro.

A realização de atividades de ensino por meio da modalidade ensino-aprendizagem remoto na graduação e pós-graduação foi aprovada no último dia 12.

Nesta terça-feira (18), a Ufes aprovou a Resolução 20/2020, que regulamenta a implementação do Ensino-Aprendizagem Remoto Temporário e Emergencial (Earte), a oferta de disciplinas do semestre especial, a reorganização dos planos de ensino das disciplinas e das atividades ofertadas, e a frequência.

A Pró-Reitoria de Graduação publicará uma instrução normativa de orientação dos critérios e das formas de avaliação que poderão ser adotados na vigência do Earte.

Já o calendário acadêmico foi definido através da Resolução nº 31/2020.

Na Ufes, as aulas presenciais dos cursos de graduação e de pós-graduação estão suspensas desde o dia 18 de março, por causa da pandemia do novo coronavírus.

Acesso à internet

O Cepe também aprovou que a Administração Central da Ufes deverá garantir a inclusão digital dos estudantes que não possuam equipamentos adequados (notebook ou desktop) e/ou condições de acesso à internet que permitam a efetiva participação nos processos de ensino-aprendizagem.

Segundo a Universidade, isso já está em andamento por meio das chamadas de cadastro para os editais de Auxílio Inclusão Digital Emergencial – Graduação, Pós-Graduação e Acessibilidade.

Além disso, também foi aprovada a resolução que institui o Auxílio Emergencial de Inclusão e Acessibilidade Digital, com o objetivo de contribuir para a inclusão e a acessibilidade digital de estudantes em situação de vulnerabilidade social.

Fase 1

Com a conclusão das deliberações por parte do Conselho Universitário e do Cepe, a Ufes vai ingressar na Fase 1 proposta no Plano de Contingência, que prevê a implementação do ensino remoto emergencial para estudantes de graduação e de pós-graduação da Universidade.

Nessa etapa, a minuta de resolução aprovada propõe a flexibilização da oferta de disciplinas e a continuidade de uma política de capacitação docente em ferramentas de ensino remoto.

Prevê também excluir da oferta as disciplinas laboratoriais, os estágios (exceto os das áreas da saúde) e as aulas de campo que não puderem ser realizadas adequadamente em modo remoto.

Na Fase 1, as atividades administrativas continuarão sendo desenvolvidas remotamente. Só na terceira fase a Ufes prevê que as atividades administrativas aconteçam de forma híbrida, para que, nas fases seguintes, voltem a ser presenciais, conforme ilustra o esquema abaixo.

Leia mais

Leia também