Com dedo dos EUA, MP colombiano investiga empresários da Odebrecht


O Ministério Público colombiano vai investigar os empresários brasileiros Hamilton Ideaki, Eder Paolo Ferracuti e Marcio Marangoni por corrupção da Odebrecht na construção de uma rodovia que liga o centro ao norte do país.

Os executivos, que trabalhavam naquela empresa brasileira, serão acusados ​​dos crimes de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e enriquecimento ilícito em condutas que “estariam relacionadas a várias fases do projeto ‘Ruta del Sol'”. 

O Ministério Público especificou que irá solicitar um mandado de prisão internacional para os empresários. Segundo o Departamento de Justiça dos Estados Unidos, a Odebrecht pagou propina na Colômbia no valor de 11 milhões de dólares.

 O MP colombiano, no entanto, fala no valor de 84 bilhões de pesos (cerca de 23,3 milhões de dólares hoje).

Além dos empresários, a Justiça colombiana condenou os ex-parlamentares Otto Bula e Bernardo Miguel Elías Vidal pelos subornos da Odebrecht, além de Roberto Prieto, que dirigiu a campanha de Juan Manuel Santos à Presidência, e os irmãos Enrique e Eduardo Ghisays Manzur.

Moro orientou Dallagnol a fazer delação seletiva no caso Odebrecht

Moro orientou Dallagnol a fazer delação seletiva no caso Odebrecht (Foto: REUTERS/Mariana Bazo)

Leia mais

Leia também