Com 100 confirmações em 12 dias, Barra de São Francisco chega a 749 casos de Coronavírus

O total de casos confirmados de Coronavírus chegou a 749 em Barra de São Francisco nesta segunda-feira (14). Desses, 620 já estão curados e 26 óbitos, restando, portanto, 103 pacientes em tratamento.

Há doze dias, no dia 2 de setembro, o número total era de 649, uma diferença exata de 100 casos.

O Espírito Santo registrou, até esta segunda-feira (14), 3.359 mortes por Covid-19. O número de casos confirmados chegou a 120.252. O índice de letalidade da doença no Estado é de 2,8%. Os dados foram divulgados na plataforma Painel Covid-19, do Governo do Estado.

Na comparação com os dados divulgados neste domingo (13), o aumento é de 13 mortes e 704 novos casos da doença.

As novas confirmações não significam, necessariamente, que as mortes e casos aconteceram de um dia para o outro, mas que foram contabilizadas no sistema neste período.

Até o momento, 109.750 pessoas estão curadas e 340.398 testes foram feitos. Além disso, há 89.118 casos suspeitos e outros 160.601 foram descartados.

Vale ressaltar que a confirmação de casos é lançada no sistema utilizado pelo Governo do ES no dia referente à coleta da amostra do paciente, enquanto a divulgação para o público externo ocorre apenas no dia que sai o resultado positivo para a doença.

O sistema usado pelo Espírito Santo para atualizar os números também contabiliza pacientes residentes em outros estados que fizeram a testagem em cidades capixabas.

A taxa de transmissão da Covid-19 no Espírito Santo está diminuindo. A afirmação é do subsecretário de Estado de vigilância epidemiológica, Luiz Carlos Reblin. De acordo com ele, a taxa de transmissão do coronavírus em todo o Espírito Santo está em 0,34. Isso significa que, para haver uma nova pessoa infectada, outras três precisam ter transmitido o vírus.

“Nossa taxa era acima de 1. Isso era preponderante para que a pandemia crescesse entre nós. A partir do momento em que ela fica abaixo de 1, a pandemia começa a reduzir”, explicou o subsecretário.

Reblin explicou que, na Grande Vitória, a taxa é um pouco menor, de 0,27. E no interior, a taxa é maior, 0,6. “Na Grande Vitória, a taxa de transmissão é menor do que nas demais regiões do Estado. Mas a taxa é menor que 1 em todas as regiões. Isso significa que a pandemia está diminuindo entre nós”, apontou.

A informação foi dada pelo subsecretário em coletiva de imprensa realizada nesta segunda-feira (14). Também presente na coletiva, o secretário de Estado da saúde, Nésio Fernandes, salientou que, embora a pandemia esteja reduzindo, não há motivos para relaxar nos cuidados, já que, diariamente, o Estado continua registrando mortes pela Covid-19.

“Temos uma situação que permite que o governo tome decisões seguras, reconhecendo o menor risco de doença no nosso Estado. Nós não podemos banalizar as mortes e os casos de Covid. A doença mata muito rápido. Comparar a Covid com outras doenças crônicas a longo prazo não é adequado”, enfatizou.

Nésio também declarou que a Sesa está acompanhando de perto a reabertura das atividades econômicas no Estado e também os momentos de aglomerações que acontecem principalmente durante os fins de semana.

“Temos uma percepção de que houve um aumento no número de demandas ambulatoriais na Capital. O aumento foi de quase 20% nas testagens dos últimos dias, e nós estamos acompanhando. Não é o momento de desrespeitar o protocolo”, recomendou.

Testagem

 

O secretário anunciou que, já a partir desta segunda-feira (14), qualquer cidadão que apresente sintomas gripais, sendo do grupo de risco ou não, será testado para a Covid-19. A nota técnica sobre esses procedimentos será publicada ainda nesta semana.

“Caminhamos para estabelecer uma maior ousadia na capacidade de testagem e bloqueio de pessoas sintomáticas. Isso vai permitir que consigamos dar passos ainda mais seguros na pandemia e entender os surtos de forma mais clara. Passaremos a testar todos os pacientes sintomáticos respiratórios, independente de fatores de risco”, explicou Nésio.

Inquéritos

 

Na próxima sexta-feira (18), será realizada uma coletiva de imprensa entre a Secretaria de Saúde (Sesa) e a de Educação (Sedu) para apresentar o inquérito escolar e a forma como serão feitos os testes para alunos e trabalhadores da educação. De acordo com o secretário, também será feito um inquérito sorológico nas comunidades indígenas de Aracruz.

Leia mais

Leia também