Cobradores do Sistema Transcol seguem afastados por mais 60 dias

De acordo com sindicato, acordo trabalhista está sendo cumprido tanto pelas empresas quanto pelo Estado. Afastamento acontece como medida de segurança contra a Covid-19.


Ônibus Transcol em terminal da Grande Vitória

O Governo do Espírito Santo prorrogou por mais 60 dias a suspensão dos contratos de trabalho dos cobradores de ônibus do sistema Transcol. A portaria com a decisão foi publicada na edição desta quarta-feira (15) do Diário Oficial.

A suspensão começou no dia 17 de maio, quando os ônibus também deixaram de aceitar o pagamento das passagens em dinheiro em espécie, sendo permitido apenas o Cartão GV. O objetivo é diminuir a circulação da moeda e, assim, evitar a disseminação do coronavírus.

O prazo inicial para o fim da suspensão era de 60 dias. Agora, a previsão é de que os cobradores voltem a trabalhar em setembro.

A prorrogação foi possível após o governo federal editar o decreto que amplia o prazo do programa que permite a redução de jornada e de salário e a suspensão de contratos de trabalho.

O diretor do Sindirodoviários, Miguel Leite, disse que a categoria foi informada sobre a prorrogação e, segundo ele, tanto as empresas que operam o sistema como o governo estão cumprindo com suas partes no acordo.

Desde o afastamento, as empresas continuaram pagando os benefícios dos trabalhadores, como tíquete alimentação e plano de saúde. As empresas arcam com 30% dos valores dos salários, e o governo do Estado complementa os outros 70%.

“Esperamos que na volta, se esse prazo não for prorrogado novamente, as empresas cumpram com o decreto e mantenham a estabilidade do trabalhador. Temos que esperar e nos adaptar a essa nova situação”, apontou o sindicalista.

 

Leia mais

Leia também