Ciclo Folclórico da Serra pode se tornar patrimônio artístico e cultural imaterial do ES

Autor da proposta, Xambinho destaca riqueza de ciclo folclórico do município, com festejos religiosos e manifestações culturais

O município da Serra possui um rico ciclo folclórico, que mistura festas de cunho religioso com manifestações culturais locais, com destaque para as bandas de congo. O deputado Alexandre Xambinho (PL) propõe, por meio do Projeto de Lei (PL) 297/2021, reconhecer esse calendário festivo como um patrimônio artístico e cultural imaterial do Espírito Santo. A matéria tramita em urgência na Casa.

O ciclo folclórico é composto por diversos eventos festivos já tradicionais na região: Festa de São Benedito e São Sebastião, em Nova Almeida, no mês de janeiro; Festa de São Sebastião, em Manguinhos, também em janeiro; Festa de Sant’Ana, em Manguinhos, em julho; Festa do Folclore, nas redes estadual e municipal de ensino, no mês agosto; Festa de Nossa Senhora do Rosário, na comunidade de Pitanga, em outubro, além dos festejos de São Benedito na Serra Sede, em dezembro.

Além das festas, o município também possui as tradicionais derrubadas de mastro em várias comunidades, como Pitanga, Nova Almeida, Manguinhos, Serra Sede e Jacaraípe.

Junto ao PL, Xambinho anexou um relatório de atividades da Associação de Bandas de Congo da Serra (ABC-Serra), entidade que apresentou a demanda ao deputado.

Além da organização dos eventos, a instituição também desenvolve pesquisa sobre o folclore regional, além de um trabalho específico nas escolas para incentivar a formação de grupos mirins de modo que a tradição permaneça nas gerações futuras. A ABC-Serra foi fundada em 1986 com o objetivo principal de manter viva a tradição das bandas de congo e os festejos do município.

Na justificativa do projeto, o autor ressalta a importância de preservar essas tradições. “O ciclo folclórico é mais do que festejo. É um trabalho de preservação da memória e tradição das comunidades locais, em especial das bandas de congo. É uma maneira de manter viva a história da cidade e do nosso Estado”, afirma Xambinho.

Tramitação

Como tramita em urgência, o PL 297/2021 terá parecer oral das comissões de Justiça, Cultura e Finanças durante sessão plenária. Esse procedimento agiliza a tramitação do projeto e antecede a votação pelo conjunto de deputados.


Leia mais

Leia também