Chuvas e inundações deixam 44 mortos na Alemanha e na Bélgica


247, com Reuters – Pelo menos 42 pessoas morreram e dezenas estão desaparecidas por causa de chuvas e inundações no oeste da Alemanha. Outras duas morreram na Bélgica.

Correntezas arrastaram carros, arrancaram árvores e causaram o desabamento de algumas edificações nos dois países, onde represas correm o risco do rompimento. 

As enchentes provocaram as maiores perdas de vidas da Alemanha em anos. As enchentes de 2002 mataram 21 pessoas no leste da Alemanha e mais de 100 na Europa Central.

A chanceler alemã, Angela Merkel, manifestou seu pesar. “Estou chocada com a catástrofe que muitas pessoas nas áreas inundadas têm de enfrentar. Minha simpatia vai para as famílias dos mortos e desaparecidos”, disse.

Armin Laschet, candidato conservador à sucessão de Merkel na eleição geral marcada para setembro e premiê do Estado de Renânia do Norte-Vestfália, duramente atingido pelas enchentes, culpou eventos climáticos extremos e o aquecimento global ao visitar a área.

“Vamos enfrentar eventos deste tipo de novo e de novo, e isso significa que precisamos acelerar as medidas de proteção ao clima, nos níveis europeu, federal e global, porque o clima não fica confinado a um Estado”, disse.

Na Bélgica, cerca de 10 casas desmoronaram em Pepinster depois que o rio Vesdre inundou a cidade do leste e os moradores foram retirados de mais de mil casas.


Leia mais

Leia também