China questiona se políticos estadunidenses vão continuar apoiando participação de Taiwan na conferência da OMS


Rádio Internacional da China A 74ª Assembleia Mundial da Saúde está chegando, e os Estados Unidos e vários outros países ocidentais jogam mais uma vez a “carta de Taiwan”. O secretário de Estado dos EUA, Anthony Blinken, declarou que a recusa da participação de Taiwan na conferência “colocaria em risco os objetivos globais de saúde”. Os chanceleres dos países do G7 também emitiram recentemente uma declaração conjunta em favor do chamado apoio à participação de Taiwan na conferência da OMS.

Como nos anos anteriores, a OMS se recusou este ano a enviar um convite às autoridades de Taiwan para participar da Assembleia Mundial da Saúde. A tentativa dos Estados Unidos e de outros países ocidentais de apoiar a participação de Taiwan na conferência falhou novamente. A razão para isso é óbvia e não poderia ser mais simples – porque tal abordagem coloca em questão o princípio de uma só China e o consenso internacional.

Por ser uma província da China, a participação de Taiwan em atividades de organizações internacionais como a OMS deve estar de acordo com o princípio de uma só China. De 2009 a 2016, Taiwan participou da Assembleia Mundial da Saúde como observador. Isso teve como pano de fundo uma decisão especial alcançada através de consultas pelos dois lados do estreito de Taiwan, com base no “consenso de 1992” que segue o princípio de uma só China. No entanto, o Partido Progressista Democrático de Taiwan (DPP), após assumir o poder, recusou-se a reconhecer o “consenso de 1992” e, em vez disso, buscou a “independência de Taiwan”. Ao fazê-lo, destruiu unilateralmente a base política para as consultas entre os dois lados do estreito. Esta é a principal razão pela qual Taiwan perdeu o direito de participar da conferência da OMS.

Alguns políticos nos Estados Unidos não querem perder a oportunidade de conter a China. Por esta razão, alegaram que a China impediu Taiwan de participar das atividades da OMS e ameaçou o bem-estar da sociedade taiwanesa. Alguns deles chegaram a proclamar que Taiwan é um “aluno modelo no controle da pandemia” e que “o mundo precisava da experiência de Taiwan”. O fato é que as autoridades do DPP foram criticadas por muitas lacunas em suas políticas de controle da pandemia. Recentemente, o número de novos casos confirmados de Covid-19 em Taiwan aumentou novamente devido à lenta campanha de vacinação, causando uma insatisfação generalizada entre a população local.

Parece ser ainda mais irônico, entretanto, que os próprios políticos americanos que falam a favor não fornecem nenhuma ajuda prática a Taiwan. Um funcionário das autoridades de Taiwan disse na quarta-feira (19) que os EUA ainda não venderam uma única dose da vacina para a ilha. Obviamente, Taiwan não passa de uma ferramenta política aos olhos desses políticos.

Sede da OMS

Sede da OMS (Foto: Reuters)

Leia mais

Leia também