China proíbe emissões da BBC em seu território por publicar fake news


A Administração Nacional de Rádio e Televisão da China (NRTA, na sigla em inglês) proibiu as emissões da BBC no país por divulgação de fake news. 

Observadores chineses disseram que a BBC tornou o boato uma prática. A emissora britânica deliberadamente enlameia a China, destaca em sua edição desta quinta-feira (11) o jornal Global Times. A decisão de suspender as transmissões da BBC envia uma mensagem clara de que a China não aceita notícias falsas.

Suspender a transmissão da BBC significa que ela não pode ser captada em nenhum lugar do território chinês.  Wang Sixin, professor de direito na Universidade de Comunicação da China,  disse que o anúncio das autoridades na véspera do Ano Novo Chinês, é para mostrar a atitude da China e atrair mais atenção do público. “A BBC nem mesmo se preocupa em esconder sua retórica anti-China, contratando um chamado ‘especialista’ anti-China para pesquisar e usar materiais fabricados para caluniar a China. Ela merece tal punição”, disse Wang.

Na China os canais estrangeiros de televisão por satélite aprovados para transmitir suas emissões estão proibidos de transmitir programas com conteúdo que prejudique a unidade nacional, a soberania e a integridade territorial da China;

As recentes reportagens tendenciosas da BBC sobre a China, seja sobre a governança de Xinjiang ou sobre a epidemia em Wuhan, geraram críticas ferozes na China. Na plataforma chinesa Sina Weibo, semelhante ao Twitter, as reportagens da BBC foram muitas vezes motivo de chacota por suas reportagens tendenciosas e de duplo padrão.

A BBC recentemente se colocou no centro das atenções da comunidade internacional com uma reportagem sensacionalista acusando a China de “estupro em massa” na Região Autônoma Uigur de Xinjiang com base na afirmação não verificada de apenas um entrevistado. A emissora também distorceu os relatórios sobre a Covid-19 em Wuhan.

(Foto: Global Times)

Leia mais

Leia também