Cerimonial infantil busca recursos junto ao Fundo de Proteção ao Emprego

A necessária adoção de medidas de distanciamento social é uma das alternativas preventivas para conter a aglomeração de pessoas e, assim, evitar a proliferação do novo Coronavírus (Covid-19). Com isso, o segmento de eventos foi um dos mais afetados e necessitou buscar alternativas para seu funcionamento. Esse foi o exemplo do Buffet Infantil Lollypop, que buscou apoio no crédito emergencial disponível pelo Fundo de Proteção ao Emprego, operacionalizado pelo Banco de Desenvolvimento do Espírito Santo (Bandes).

A empresa das sócias Fátima Barcelos Abelha e Michele Margotto Camargo foi um dos empreendimentos que buscou manter o funcionamento e continuar prestando serviços de cerimonial e de bufê direcionado ao público infatil. “O Lollypop foi criado em 2003 e, desde então, vem se destacando no segmento de festas infantis, tendo recebido durante esses anos prêmios de melhor cerimonial infantil do Espírito Santo, por meio de votação pública. Em 2020, a pandemia se abateu sobre o mundo nos afetando de uma forma inimaginável, e o setor de eventos foi um dos mais prejudicados”, destaca Michele Camargo.

Assim como no seu modelo de negócio, onde criatividade e “jogo de cintura” são necessários para prestar serviços de qualidade, as empresárias buscaram alternativas criativas e planejadas para superar o momento adverso. “Desde o início da pandemia, temos buscado várias alternativas, como delivery dos nossos produtos, doces e também lançamos o kit festa em casa, que envolve atividades que amenizam um pouco as nossas dificuldades, mas que estão longe de recuperar o faturamento que sempre tivemos. Assim, foi preciso recorrer aos créditos bancários durante meses e, finalmente, chegamos às portas do Bandes, com o objetivo de conseguir capital de giro que nos permitisse atravessar esta tormenta que acreditamos estar próxima do fim”, relembra Michele Camargo.

“Fomos tratadas carinhosamente pelo estabelecimento, que tem se confundido desde o início de sua criação com a história de sucesso de empresas capixabas. Ao Bandes e aos extraordinários funcionários que lá trabalham, a nossa eterna gratidão”, afirma Fátima Barcelos Abelha.

O Fundo de Proteção ao Emprego faz parte das medidas econômicas anunciadas pelo Governo do Estado como forma de dar suporte às empresas que passam por diferentes situações e que necessitam de crédito para superar este período. O crédito emergencial disponibiliza capital de giro de maneira desburocratizada para que o empresário tenha um fôlego a mais e possa manter as atividades da empresa. O financiamento contempla projetos de investimento de R$ 31,5 mil até R$ 1 milhão.

No total, serão disponibilizados até R$ 250 milhões para a linha de crédito emergencial. Os recursos beneficiam modelos de negócios que foram impactados pela retração econômica, com a adoção das medidas de distanciamento social dos últimos meses. O crédito emergencial pretende apoiar empresas pertencentes aos setores diretamente afetados pela pandemia, especialmente bares e restaurantes, hotéis e pousadas, eventos sociais e culturais, atividades esportivas e turísticas, entre outras.

Atendimento on-line

O diretor-presidente do Bandes, Munir Abud de Oliveira, explica que o atendimento aos empresários tem sido uma prioridade de atuação do banco. “Até o momento, o Bandes tem sido procurado por empresas de todos os portes para informações sobre a linha em todos os seus canais. Para acessar o crédito, o interessado deve entrar no site do banco”, explica.

A linha de financiamento do Fundo de Proteção ao Emprego financia capital de giro em condições atrativas, com prazo de até 72 meses para pagar, incluídos 12 meses de carência. A linha é considerada sem juros, uma vez que o recurso financiado só tem correção pela taxa Selic.

Informações sobre linhas de financiamento:
www.bandes.com.br
faleconosco@bandes.com.br


Leia mais

Leia também