CEIER Águia Branca promove ações educacionais pautadas na transformação sociocultural

O Centro Estadual Integrado de Educação Rural (CEIER) Águia Branca, por meio da Educação do Campo, vem atuando na busca por uma educação efetiva e eficaz, com práticas educacionais pautadas na transformação sociocultural, a partir de abordagens pedagógicas essenciais dentro da pedagogia crítica, impulsionando, assim, o protagonismo de crianças e jovens.  

Durante todo este mês de abril, para celebrar o Dia do Índio, lembrado nesta segunda-feira (19), o CEIER de Águia Branca estará realizando o projeto denominado “Povos Indígenas: Nossas Raízes”, promovendo momentos de contextualização, reflexão e apropriação das questões indígenas nos contextos cultural, social, econômico e ambiental, desde antes da colonização portuguesa no território brasileiro até os dias atuais. As disciplinas da área de Humanas (Geografia, História, Ensino Religioso, Sociologia e Filosofia) vêm trabalhando de forma interdisciplinar, relacionando os objetos de conhecimento (presentes no Currículo Básico) com as questões dos povos indígenas. 

“Para viver democraticamente em uma sociedade tão dinâmica e diversa, é preciso respeitar os diferentes grupos e culturas que a constituem. A sociedade brasileira é formada não só por diferentes etnias, como também por imigrantes de diferentes países. Além disso, as migrações colocam em contato grupos diferenciados e, consequentemente, a diversidade cultural”, disse a professora responsável pelo projeto, Livia Israel Ferreira. 

O projeto “Povos Indígenas: Nossas Raízes” está sendo pautado em textos reflexivos, videoaulas, roda de conversa, interpretação de manchetes de notícias sobre a temática, místicas, criação de poesias e debates dos assuntos trabalhados em cada uma das disciplinas da área, buscando sempre apontar o reflexo ou o efeito de ações na e para a sociedade.  Todas as etapas do projeto estão sendo trabalhadas de maneira remota, durante este período de aulas não presenciais. 

“Por meio deste projeto, proporcionamos não só o reconhecimento e a valorização da identidade indígena, mas também o reconhecimento e a valorização da nossa identidade, que está direta e indiretamente associada a eles. Logo, nesse ‘Dia do Índio’ e em todos os outros dias, pedimos que os povos indígenas sejam respeitados, pois respeitar os direitos deles é, acima de tudo, o nosso dever”, afirmou a professora Livia Israel Ferreira. 

Leia mais

Leia também