CE: SENAI presta consultoria gratuita para fabricação de EPIs

Estão abertas, até 31 de maio, as inscrições para consultoria gratuita destinada às indústrias que quiserem fabricar equipamentos de proteção individual (EPIs) ou ampliar a produção já existente. Com duração de oito horas, o treinamento virtual será oferecido pelo Instituto SENAI de Tecnologia em Eletrometalmecânica, em Maracanaú.
A mentoria às empresas será individualizada. Os empresários serão orientados a elaborar máscaras, aventais hospitalares, protetores faciais, álcool em gel, entre outros produtos, além de receberem informações sobre normas da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e conselhos sobre investimentos. 
O assessor da direção regional do SENAI/CE, Walaci Fialho, afirma que a iniciativa visa promover a produção nacional de EPIs, diante da pandemia do novo coronavírus, e fomentar a indústria brasileira. “Nós observamos que há uma necessidade grande de EPIs no mercado, devido à covid-19. E tem empresas capacitadas para atender essa demanda”, aponta.

Fialho indica que há fábricas com maquinário e capital humano disponíveis, mas que muitas indústrias não produzem produtos hospitalares por falta de direcionamento.

“Uma empresa da área de vestuário, que comumente fabrica peças como camisetas e shorts, tem capacidade de produzir máscaras de tecido, aventais e toucas hospitalares. Basta se adaptar às regras da Anvisa”, complementa. 

Desde 19 de março deste ano, a Associação Médica Brasileira (AMB) já recebeu 3.576 denúncias de falta de EPIs em unidades de saúde de todo o país. O estado de São Paulo lidera o ranking de queixas, com 1.296; seguido por Rio de Janeiro (385) e Minas Gerais (362).

“A partir dos relatos recebidos, a AMB comunica os estabelecimentos apontados, solicita esclarecimentos e a atualização das informações e notifica o Ministério da Saúde, o Conselho Regional de Medicina (CRM), as Secretarias de Saúde Municipal e Estadual, o Conselho Federal de Medicina (CFM) e o Ministério Público”, informa a associação. 

A analista do SENAI Ceará, Camila Forte, diz que a entidade espera suprir o desabastecimento de insumos de saúde a partir da produção em larga escala de EPIs. “Esperamos que, com essa ação, possamos estimular as empresas e aumentar a disponibilidade de itens fundamentais para a saúde e segurança dos profissionais de saúde e de todos os cidadãos”, afirma. 

Ao todo, o SENAI abriu 200 vagas para a consultoria. Para mais informações, encaminhe e-mail para grcruz@sfiec.org.br e fvmesquita@sfiec.org.br ou acesse o site senai-ce.org.br. 

Foto: Ingrid Anne

Leia mais

Leia também