CDPA faz primeira entrega de máscaras produzidas na unidade à Polícia Militar

As máscaras produzidas por detentos do Centro de Detenção Provisória de Aracruz (CDPA) começaram a ser distribuídas para os batalhões da Polícia Militar nesta terça-feira (14). Ao todo, 1.480 unidades de máscaras foram entregues aos batalhões da Polícia Militar de Aracruz, Linhares e São Mateus para uso das tropas do policiamento ostensivo.

Cerca de duas mil máscaras já foram confeccionadas por presos voluntários da unidade prisional com materiais doados. A expectativa é ultrapassar a marca de cinco mil unidades que serão direcionadas também aos servidores penitenciários e instituições da região. A entrega foi realizada na sede do CDPA, pelo diretor na unidade, Dantas Campostrini Vieira, aos comandantes dos batalhões da PMES: tenente-coronel Cláudio Silva, de Aracruz; tenente-coronel Geovanio Silva Ribeiro e major Emerson Fabrício Bariani Ribeiro, ambos do 12º Batalhão de Linhares.

A Secretaria da Justiça (Sejus) já iniciou a aquisição de insumos para produção em larga escala de máscaras que serão distribuídas aos servidores da segurança pública. A expectativa é produzir mais de 290 mil máscaras mensais para atendimento da demanda operacional da Sejus, Polícia Militar, Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo (Iases), Corpo de Bombeiros Militar e Exército Brasileiro.

Uso de máscaras em tecido

O Ministério da Saúde orienta que máscaras de modelos simples, em pano, também funcionam como barreiras na propagação do novo Coronavírus. Para garantir sua eficiência, é preciso que a máscara em tecido siga algumas especificações: que tenha pelo menos duas camadas de pano, ou seja dupla face e que seja individual. A recomendação do é que a máscara cubra totalmente a boca e nariz e que estejam bem ajustadas ao rosto, sem deixar espaços nas laterais.

As máscaras em tecido podem ser usadas por cerca de duas horas e devem ser lavadas com água sanitária sendo deixadas de molho por cerca de dez minutos. O uso da máscara não substitui as recomendações da higienização das mãos com água e sabão, ou álcool em gel. Mesmo com o uso das máscaras em tecido, é recomendado que não se leve a mão ao rosto.

Leia mais

Leia também