Casos suspeitos de infecção por variante indiana de Covid-19 são descartados no Espírito Santo

 

Os casos suspeitos de infecção pela variante indiana do novo coronavírus que estavam em investigação no Espírito Santo foram descartados. A informação foi passada pelo secretário estadual de Saúde, Nésio Fernandes, durante pronunciamento sobre a atualização da pandemia no estado nesta terça-feira (1º).

Em um dos casos investigados, de um indiano que testou positivo para Covid-19 enquanto estava hospedado em um hotel em Jardim Camburi, em Vitória, foi comprovada a infecção pela cepa P1, variante brasileira identificada primeiramente no estado do Amazonas.

Por causa da suspeita, cerca de 92 pessoas – entre funcionários e hóspedes do hotel onde o indiano estava hospedado – estavam em quarentena compulsória desde a última sexta-feira (28). Durante o pronunciamento, Nésio informou também que todos foram liberados da quarentena após testes negativos para o vírus.

“Encerramos a quarentena na rede hoteleira onde foi ordenada uma quarentena compulsória para investigação de caso suspeito da variante indiana. Foram 92, entre trabalhadores e hóspedes, investigados. Tivemos um teste positivo para Covid-19 e a investigação informou se tratar da infecção pela cepa P1, que é a variante brasileira que foi identificada primeiramente no estado do Amazonas”, informou o secretário.

Os outros casos investigados, de um capixaba que viajou em viajou no mesmo avião que transportou um homem que testou positivo para a variante indiana da Covid-19 e do homem que levou esse passageiro até em casa, também foram descartados. O passageiro já tinha dois testes negativos para a doença e, em novas testagens, foi comprovado que ele não foi infectado pelo vírus.

Todos os exames dos casos suspeitos foram analisados na Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro.

No Brasil, foram confirmados casos da variante no Maranhão, no Rio de Janeiro e em Minas Gerais.

A variante indiana do novo coronavírus, a B.1.617, já foi oficialmente detectada em 49 países e quatro territórios, segundo relatório da Organização Mundial de Saúde (OMS) publicado na última quarta (26).

De acordo com o documento da OMS, a B.1.617 é mais contagiosa em uma comparação inicial com a variante britânica, mas ainda é investigado se ela está relacionada a quadros mais graves de Covid-19 e se ela aumenta o risco de reinfecção.

 

Parte dos hóspedes e funcionários do hotel continuam isolados

Parte dos hóspedes e funcionários do hotel continuam isolados


Leia mais

Leia também