Casagrande confirma a possibilidade da instalação de 10 leitos de UTI no Hospital São Marcos

O governador do Estado, Renato Casagrande, esteve em Nova
Venécia na manhã desta segunda-feira (05), para entregar 10 leitos de
enfermaria no Hospital São Marcos para tratamento de pacientes infectados pelo
novo coronavírus.

Durante a entrega, o governador confirmou que há conversas em andamento para a instalação de 10 leitos de UTI na unidade hospitalar, restando, apenas, o aval da São Camilo. “Estamos em conversa com o Alessandro, diretor do Hospital São Marcos, e ele está em contato com a São Camilo, em São Paulo. Se eles autorizarem, nós contratualizaremos 10 leitos de UTI aqui em Nova Venécia para tratamento da Covid-19 e, depois que tudo isso passar, vai ficar à disposição para outras enfermidades. Mas, tem chance, sim. Da nossa parte, já está autorizado, agora, depende da direção da São Camilo”.

O diretor administrativo do Hospital São Marcos, Alessandro
Prado Aguilera, disse que a situação já foi passada para a São Camilo, em São
Paulo. “Seriam 10 leitos exclusivos de UTI Covid. Essa é a ideia. Essas
portarias estão à priori, em vigor, tanto a estadual, quanto a federal, até o
dia 31 de dezembro ou enquanto durar a gravidade da doença. Isso foi passado
para a São Camilo e eles estão avaliando a situação, considerando que precisa
haver a viabilidade das UTI’s posterior à pandemia. A discussão toda hoje da
instituição, junto à Secretaria de Estado da Saúde, em parceria com o
Município, é essa, de como vai funcionar o custeio desse serviço quando essas
portarias acabarem”.

Segundo Alessandro, o projeto foi encaminhado no final da
última semana e um retorno é aguardado. “Tem sido tratado de forma interna, a
situação em São Paulo também não está fácil, no pico da doença, e estamos
aguardando um retorno com relação a esse parecer”.

Quem também falou sobre a possibilidade foi o prefeito de
Nova Venécia, André Fagundes. “São mais 10 leitos de enfermaria e isso
demonstra a ampliação da estrutura física do Hospital São Marcos, que atende
Nova Venécia e outros municípios da região. Estamos vendo um esforço muito
grande do Governo do Estado em estar contratualizando esses 10 leitos de UTI. A
gente vê, todo dia, abertura de novos leitos no Espírito Santo e, Graças a
Deus, chegou a nossa cidade. Pretendemos fazer a mobilização, como vem sendo
feita diariamente, para tentar diminuir esse número de casos e, para isso,
precisamos muito do apoio de todos. Em consonância, também, a abertura de novos
leitos com o apoio do Governo do Estado, do subsecretário Kim, do secretário
Nésio e do deputado Freitas, empenhados há mais de uma semana em conversas para
implantarmos, não só esses 10 leitos de enfermarias, mas, também, 10 leitos de
UTI, que é o sonho de toda nossa população desde antes da pandemia”.

De acordo com o subsecretário de Estado de Regulação,
Controle e Avaliação em Saúde, Gleikson Barbosa dos Santos, agora só resta a
aprovação da rede São Camilo para a agilização do processo de abertura dos
leitos de UTI. “Com o aval deles, nós, de forma imediata, vamos fazer a
abertura desses 10 leitos de UTI para atendimento de pacientes com Covid-19.
Logo após, conforme haver a redução de ocupação dos leitos, eles poderão ser
transformados para atendimento de clínica médica, ou seja, leitos de UTI tipo 2
para atender toda a população de Nova Venécia e região”.

O deputado estadual, Freitas, também reforçou a importância
dos leitos de UTI no município e disse que, a partir do momento que a Fundação São
Camilo autorizar, há a possibilidade deles serem instalados ainda neste mês de
abril. “O governador endossa e ratifica a proposta que nós fizemos aqui por
três vezes, da instalação desses 10 leitos de UTI aqui no Hospital São Marcos.
Se a Fundação São Camilo aceitar, dentro deste mês de abril, a gente já tem a
possibilidade de abrir esses leitos para somar junto aos que já temos na
região. Isso é imprescindível, importante e a contratualização desses leitos é
imediata. É importante que a Fundação tome essa decisão rapidamente e ajude a
gente a salvar mais vidas e disponibilizar dignidade às pessoas que necessitam
de uma Unidade de Terapia Intensiva”.

 

Leia mais

Leia também