Capixabas que moram em outros países relatam vida normal e Covid-19 sob controle

Em meio a uma pandemia que já matou mais de 3 milhões de pessoas em todo o mundo, para alguns capixabas que moram na Austrália e Nova Zelândia, a vida já voltou ao normal. Eles podem andar nas ruas sem máscara, estão liberados para irem a shows, bares e restaurantes sem se preocupar com a Covid-19. A reportagem é de Caíque Verli, da TV Gazeta.

Nesses dois países, onde a incidência de casos do novo coronavírus foi controlada e que possuem um rígido controle de acesso para quem chega e quem sai, acontecem baladas, apresentações culturais com plateia, e poucas restrições, como relatou a Carol, que reside em solo australiano.

“A gente está vivendo uma vida normal, não é mais obrigatório o uso de máscara, nem isolamento social. A nossa maior preocupação é que a gente não pode viajar pra fora do país e que a gente se preocupa com a nossa família no Brasil”, afirmou.

Passageiros se preparam no Aeroporto de Sydney, na Austrália, para pegar um voo para a Nova Zelândia, em 19 de abril de 2021, com a abertura da tão esperada bolha de viagens entre os dois países — Foto: Rick Rycroft/AP

Passageiros se preparam no Aeroporto de Sydney, na Austrália, para pegar um voo para a Nova Zelândia, em 19 de abril de 2021, com a abertura da tão esperada bolha de viagens entre os dois países — Foto: Rick Rycroft/AP

Na Austrália, que tem 23 milhões de habitantes, pouco mais de 900 pessoas morreram de Covid-19, menos que Vitória, onde mais de mil pessoas já perderam a vida para a doença.

Também morando na Austrália, a Bárbara Magliano, que é estudante de culinária, contou um pouco da rotina das pessoas por lá.

“Eu saí aqui nas ruas pra mostrar como que está a vida aqui, já que não estamos basicamente com nenhum caso de coronavírus. Todos os comércios, museus, centros de arte abertos, funcionando normalmente. Só o transporte público é um dos poucos lugares que ainda precisa usar máscara e as pessoas respeitam mesmo”, disse.

Nova Zelândia suspendeu quase todas as suas restrições ao coronavírus em junho de 2020, após não relatar nenhum caso ativo no país — Foto: Getty Images/BBC

Nova Zelândia suspendeu quase todas as suas restrições ao coronavírus em junho de 2020, após não relatar nenhum caso ativo no país — Foto: Getty Images/BBC

Outros países da Oceania também conseguiram controlar a transmissão do vírus. Isso porque apostaram numa quarentena bem rígida no início da pandemia, fecharam as fronteiras e conseguiram isolar os casos confirmados da doença.

Um desses países é a Nova Zelândia, que registrou menos de 30 mortes por Covid-19 e teve menos de 30 mil pessoas contaminadas.

Morando há dois anos no país, o marceneiro Mateus Rezende também relatou sobre como a vida tem sido normal e os cuidados mínimos exigidos em ambientes coletivos.

“A gente não tem mais a necessidade do uso obrigatório de máscaras nas ruas. Hoje ainda tem, como uma prevenção, a utilização de máscaras dentro dos transportes públicos, porém só isso. Temos pouquíssimos casos registrados na Nova Zelândia e todos esses casos estão acontecendo lá na Ilha Norte”, falou.

Novamente comparando com o Espírito Santo, que já teve mais de 430 mil casos confirmados de Covid-19, a Nova Zelândia é um oásis, onde o Mateus tem orgulho de morar.

“As pessoas realmente respeitaram as regras, fizemos um lockdown, uma quarentena bem feita e as pessoas ficaram em casa, respeitaram o distanciamento social, e estamos bem felizes de estar vivendo num país onde as pessoas se preocupam com o próximo e realmente se preocupam com o que está acontecendo no mundo em geral”, finaliza.

Show com público na Nova Zelândia em meio à pandemia da Covid-19

Show com público na Nova Zelândia em meio à pandemia da Covid-19

Leia mais

Leia também