Capixaba produz terço gigante da Festa da Penha há 24 anos

Compartilhe

 


Com 21 metros e luz de LED, a peça traz a imagem da Santa, com um paciente no leito para simbolizar o tema da edição de 2022 do evento


Reportagem: Cintia Zaché, da Rede Notícia

O terço gigante que já está instalado entre duas palmeiras, para a 452ª Festa da Penha deste ano, é uma idealização do veneciano e médico, Osmar Sales, que ainda conta uma equipe de amigos e familiares, para a produção anual do Rosário.

Há 24 anos, Osmar e sua equipe confeccionam o símbolo Católico, que é instalado na festa religiosa mais conhecida do Estado. A peça representa em cores, adereços e luzes, o tema da edição 2022 do evento: “Saúde dos enfermos, rogai por nós”.

Com 21 metros e versão inédita, o monumento, que foi instalado no sábado de Aleluia, dia 16, traz luz de LED, bolinhas de grama, cruz e outros adereços, tudo produzido de forma artesanal. “A ideia de como vai ficar o Terço começa sempre um ano antes da Festa da Penha”, diz Osmar Sales.

A obra traz ainda, a imagem da Santa, com um paciente no leito, e na cruz, a imagem de Cristo Ressuscitado, tudo produzido pelas mãos do veneciano e sua equipe.

Em tempos de pandemia, em 2020, o Terço confeccionado não foi instalado, para evitar risco de contágio da Covid-19. Em 2021, o Terço instalado foi o de 2019. Esse ano, o Terço inédito pôde ser acomodado entre as duas palmeiras, como sempre, no campinho do Convento da Penha, em Vila Velha, pelo Corpo de Bombeiros, que é quem faz anualmente a instalação.

» Cada “Conta do Terço” (bolinha do Terço) foi confeccionada utilizando grama

O início da história  

Na visita do João Paulo II, em 1997, no Rio de Janeiro, a tia da esposa do Osmar, pediu que ele criasse o Terço, igual o que tinha na visita do Papa. A ideia era de levar a peça durante a Romaria das Mulheres, na Festa da Penha. Como o Terço não erguia com balões e gás hélio, como o da programação carioca, Osmar pediu ao frei do Convento da Penha, permissão para instalar o monumento, e o pedido foi atendido. “Todos os anos nós trabalhamos e preparamos a peça para a Festa. Para nós representa um ato de fé e tradição católica”, fala.

Em Nova Venécia 

Osmar é casado com a Maria Célia, tem dois filhos, e mudou-se a primeira vez de Nova Venécia aos 17 anos, em 1973, para estudar em um Colégio de Padres, em São Paulo.

Filho do seu Benedito Salles e da dona Maria Biral Sales, a família morava na rua Conceição, em Nova Venécia. Osmar, que hoje mora em Vitória, também já deu aula no município veneciano e atuou no Hospital São Marcos.

Leia também

Barra de São Francisco atende 46 pacientes de hepatite

As hepatites virais são um grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo. É uma infecção...

Jaguaré vai construir três novas Unidades Básicas de Saúde

  A Prefeitura de Jaguaré, por meio da Secretaria de Saúde, anunciou a construção de mais três Unidades Básicas...

Em quase um ano e meio, hortão municipal teve produção recorde de legumes verduras

A distribuição de verduras e legumes continua sendo realizadas dia a dia por servidores da secretaria de Agricultura...

Capixaba Lyanco avalia primeira temporada no Southampton e mantém sonho de Seleção: “essa hora irá chegar”

O zagueiro capixaba Lyanco terminou a temporada de 2021/22 como titular do Southampton, da Inglaterra. Contratado para a...

Operação da PF contra roubo de encomendas postais prende uma pessoa no Espírito Santo

A Polícia Federal realizou, nesta terça-feira (7), a Operação Nuntio, que cumpriu um mandado de prisão e um...

Déficit na balança comercial de produtos químicos atingiu US$ 23,5 bilhões em cinco meses, diz Abiquim

Dados divulgados pela Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim) revelam que o déficit na balança comercial de produtos...