Campanha ABC prioriza cuidados na primeira infância

Priorizar a proteção e os cuidados à primeira infância para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável para 2030. Esse é o objetivo da campanha ABC para a Primeira Infância: Amar, Brincar e Cuidar, lançada este mês, pelo Ministério da Cidadania, em parceria com o Fundo Conjunto para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas.

A iniciativa vai fortalecer o Programa Criança Feliz, também do Governo Federal, que faz o acompanhamento de milhares de gestantes e crianças de até seis anos em quase 3 mil municípios brasileiros.

A Campanha ABC para a Primeira Infância conta, de forma lúdica por meio de um e-book, a história de um casal de cientistas que está esperando um bebê, e, pela primeira vez, eles não sabem o que fazer. Achando que cuidar da infância é “uma coisa de outro planeta”, o casal de cientistas resolve entrar em um portal e viajar por vários planetas descobrindo dicas sobre como cuidar do seu filho durante um período fundamental na vida da criança, a primeira infância.

A mensagem do livro mostra os cuidados que os pais têm ao amar, brincar e cuidar em relação aos filhos “são importantes e dão certo”.

Acesse o e-book

“Esse e-book traz informações muito importantes sobre a primeira infância de forma lúdica e trata também de uma das bandeiras do atual governo, que é a literacia familiar. Então, é uma possiblidade de trazer as informações sobre a importância de se investir no começo da história. A infância não pode esperar. É uma janela de oportunidades que precisa ser aproveitada”, disse a secretária Nacional de Atenção à Primeira Infância da Secretaria Especial do Desenvolvimento Social do Ministério da Cidadania, Luciana Siqueira Lira de Miranda.Capa e-book

Segundo a secretária, investir na primeira infância deve ser prioridade absoluta de um Estado. “Diariamente, nós estamos, juntos com outras instituições, discutindo, pensando com um olhar técnico, mas também com um olhar sensível questões relacionadas a essa pauta”, disse a secretária.

Ela também destacou a importância dos estímulos e da família para definir a qualidade da primeira infância. “Uma infância saudável depende de uma família saudável, de uma família que acolha as crianças; e que as crianças sejam estimuladas para que não tenham, lá na frente, dificuldade de serem alfabetizadas e de estarem inseridas socialmente”, acrescentou a secretária.

Criança Feliz

O Criança Feliz é um programa de visitação domiciliar para a primeira infância que atua em quatro eixos: cognitivo, linguístico, motor e socioemocional. Segundo o Ministério da Cidadania, o programa já fez mais de 23 milhões de visitas em 2.700 cidades. E vem contribuindo para a redução das desigualdades sociais no país. O programa atende crianças de até seis anos de idade.

Por meio de visitas domiciliares às famílias inscritas no Cadastro Único, as equipes do Criança Feliz fazem o acompanhamento e dão orientações importantes para fortalecer os vínculos familiares e comunitários e estimular o desenvolvimento infantil.

Por que investir na primeira infância?

Segundo o Ministério da Cidadania, pesquisas comprovam que os primeiros anos de vida são o período com a maior “janela de oportunidades” para o desenvolvimento humano integral. O que a criança aprende na primeira infância serve de base para tudo o que ela aprenderá ao longo da vida. Cada fase depende da anterior para que funções cada vez mais complexas possam ser realizadas, numa sequência de construções e aquisições de novas habilidades, de forma contínua, dinâmica e progressiva.


Leia mais

Leia também