Caminhoneiros fazem greve nacional na Colômbia


Prensa Latina – O sindicato colombiano do transporte de carga e associações de caminhoneiros marcharam ontem – segunda feira (15) – em várias cidades para protestar contra o aumento do pedágio e do material para rodar seus veículos.

Esta primeira greve nacional do ano é motivada pelo aumento dos preços sem que o Governo tenha em conta os números do desemprego e da crise económica gerada pela Covid-19, declarou o presidente da Confederação dos Transportadores, Jorge Ignacio García.

As manifestações foram pacíficas e aconteceram nas estradas principais, em oito departamentos do país, onde os caminhoneiros fizeram a parada de seus veículos, explicou o dirigente à imprensa local.

No fim de semana passado, o governo do presidente Iván Duque efetivou o aumento de 198 pesos colombianos (56,68 dólares) para o preço do galão de gasolina e 145 para o diesel (41,5 dólares) nas 13 principais cidades nacionais.

O protesto dos caminhoneiros é o primeiro em 2021, mas mais um em meio aos movimentos de cidadãos em Bolívar e Santander, departamentos afetados desde antes pelo aumento do pedágio na entrada de Cartagena das Índias ou no porto de Barrancabermeja, respectivamente.

Os caminhoneiros são considerados grandes contribuintes na construção das estradas e propõem a criação de escritórios de fiscalização, que revisam a situação das concessões, as rotas e distâncias, a duração do contrato e a fórmula que usam para defini-lo.

(Foto: Reprodução)

Leia mais

Leia também