Câmara deve votar hoje socorro de R$ 4 bi ao setor de transporte público

A Câmara dos Deputados deve votar nesta terça-feira (18) um Projeto de Lei que libera R$ 4 bilhões em socorro para o setor de transporte coletivo. O objetivo é minimizar os impactos econômicos da pandemia da Covid-19, que afetou as empresas de ônibus e metrô. Com as medidas de isolamento social e o fechamento de empresas e do comércio, as companhias viram o número de passageiros e o faturamento no período despencar. 

O Projeto de Lei 3364/20 é de autoria do deputado Fábio Schiochet (PSL/SC). Na Câmara, o deputado Hildo Rocha (MDB/MA) é o relator. De acordo com o substitutivo, o montante seria destinado para os sistemas de transporte em regiões metropolitanas e capitais com mais de 300 mil habitantes. A estimativa é de que cerca de 140 cidades seriam beneficiadas com os repasses. 

No entanto, a Frente Nacional de Prefeitos (FNP), por exemplo, propõe alterações no texto. Uma delas é para que mais municípios sejam beneficiados, incluindo aqueles com mais de 200 mil habitantes. 

Um levantamento da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) aponta que, desde o início da pandemia, os prejuízos para o setor somam R$ 3,7 bilhões. Segundo Otávio Cunha, presidente da entidade, as empresas já registravam queda nas receitas antes mesmo da pandemia. Com a crise sanitária, ele afirma que a demanda pelo transporte público chegou a cair 80%, ao passo em que os municípios exigiam mais de 50% da frota em circulação. Isso teria colaborado para que as companhias se endividassem. 

“O setor está em um grau de endividamento tal, que o colapso é iminente. Se não houver esse socorro e mudar a política tarifária, com certeza esse serviço ficará inviabilizado no Brasil. O projeto é da melhor envergadura, ajuda bastante. Não vai resolver o problema, mas é uma ajuda importante. Esperamos que ele seja aprovado”, afirma. 

Arte: Brasil 61

Regime Especial

O Projeto de Lei cria o Regime Especial de Emergência para o Transporte Coletivo e Metropolitano de Passageiros (Remetup). De acordo com o relatório do deputado Hildo Rocha, 70% do repasse seria destinado aos municípios. Estados e o Distrito Federal ficariam com os outros 30%. Em ambos os casos, os gestores locais passariam os recursos às empresas. 

No entanto, para receber o dinheiro, os empresários teriam que assinar um termo de adesão e seguir as contrapartidas. O Ministério da Economia tem negociado condições para apoiar o socorro. Entre elas, estaria uma que determina que todos os contratos de ônibus socorridos sejam alvo de licitação pública. Além disso, o órgão deseja aumentar a concorrência no setor e garantir gestões mais transparentes. 

“O governo colocou seu ponto de vista para melhorar o nosso texto. Nós vamos acatar algumas sugestões no sentido de aperfeiçoar esse programa que visa socorrer as empresas nesse momento de pandemia”, afirmou o deputado Hildo Rocha, em sua página nas Redes Sociais. 

O PL estabelece outras exigências: que os municípios assumam o compromisso de aportar recursos, no mínimo, em igual valor ao que seria repassado pela União e que, caso tenham dívidas com as empresas, que elas sejam quitadas, por exemplo. 

Martha Bitner, diretora de Transportes da Secretaria de Transportes e Mobilidade Urbana (STMU) da Prefeitura de Guarulhos, aponta que se nada for feito, as empresas correm o risco de quebrar. Além disso, ela destaca que serviços diretamente ligados a esse setor também seriam afetados, como os fabricantes de pneus e dos próprios veículos. 

“É um momento em que todos eles precisam de um financiamento que venha do governo. A gente aguarda um auxílio do governo federal ou estadual. A nossa demanda está reduzida, hoje em torno de 49%. [As empresas] Estão ganhando bem menos do que no dia a dia fora da pandemia”, diz. 

Câmara dos Deputados adia votação de projeto que socorre empresas de transporte coletivo

Prefeitos se reúnem com Maia e apresentam sugestões para alterar PL que institui programa emergencial de transporte coletivo

Sem desoneração da folha até 2021, serviços de transporte público podem ser paralisados

Recursos

De acordo com o PL, o repasse de R$ 4 bilhões a estados, ao Distrito Federal e aos municípios seriam realizados com recursos aplicados em operações com compromisso de revenda e demais disponibilidades vinculados ao Fundo das Reservas Monetárias (FRM).  Esse fundo é vinculado ao Banco Central e foi extinto em junho, após sanção do presidente Jair Bolsonaro. Estima-se que o FRM tenha cerca de R$ 8,6 bilhões. A ideia do deputado federal, Hildo Rocha, é usar o fundo para socorrer o setor de transporte público. 

Agência Brasil

Leia mais

Paraná investe R$ 400 milhões no combate à Covid-19, apenas no primeiro semestre do ano

Nos seis primeiros meses do ano, o Governo do Paraná investiu cerca de R$ 400 milhões no enfrentamento à Covid-19. A maior parte dos...

Governo oferece crédito sem burocracia para empreendedores atingidos pelas chuvas

Jhon Martins A retomada do desenvolvimento econômico por...

O TEMPO E A TEMPERATURA: Sul do país tem tempo com chuva, nesta segunda-feira (27)

A região Sul do país tem tempo com chuva fraca, nesta segunda-feira (27), em o Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Tempo aberto...

Bibi Ferreira, a “Dama do Teatro brasileiro”, morre aos 96 anos

Bibi Ferreira, conhecida como a "Dama do Teatro", faleceu no início da tarde desta quarta-feira (13), aos 96 anos, em seu apartamento no Rio...

Leia também

Enivaldo anuncia duplicação do polo industrial para atrair empregos

Já falando como candidato, um dia depois de...

Fome aumenta no Espírito Santo e atinge 425 mil lares, aponta IBGE

  A fome atinge três a cada dez lares do Espírito Santo. Ao todo, são 425 mil domicílios do estado estão em situação de insegurança...

Polícia apreende drogas dentro de uma viatura em Vitória

Uma viatura da Polícia Militar do Espírito Santo foi encontrada com drogas dentro em uma oficina mecânica na Avenida Marechal Campos, em Vitória. De...

Psol oficializa candidatura de Marcos de Oliveira à Prefeitura de Colatina

Marcos é servidor público federal. O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) oficializou nesta terça-feira (15) a candidatura de Marcos de Oliveira à Prefeitura de Colatina....