Câmara aprova Lei de Diretrizes Básicas da Educação Integral em Barra de São Francisco

Compartilhe

Ozéias Rezende foi a primeira escola de tempo integral implantada nesta gestão

 

O projeto de lei aprovado na Câmara Municipal esta semana, estabelecendo as diretrizes para a oferta de educação em tempo integral nas escolas públicas municipais de Barra de São Francisco, deixa antever que o processo de integralização do ensino no município deve avançar muitos nos três próximos anos e atingir cerca de cinco escolas, no interior e na sede.

De acordo com a secretária municipal de Educação Delma do Carmo Ker e Aguiar, com a aprovação das diretrizes da educação em tempo integral abre-se espaço para a implantação de uma a duas escolas de tempo integral por ano, a partir de 2022.

A Educação em Tempo Integral tem por principais finalidades:

I – ampliar o tempo de permanência dos estudantes na escola, as oportunidades de aprendizado e os espaços escolares;

II – aumentar a proficiência relativa aos conteúdos associados a competências e habilidades desejáveis para cada ano e em cada componente curricular;

III – reduzir a reprovação, a evasão e o abandono, melhorando o fluxo escolar;

IV – promover o desenvolvimento das múltiplas dimensões da infância, adolescência, considerando o corpo, a mente e a vida social;

V – formar crianças, adolescentes autônomos, críticos e participativos;

VI – fomentar o diálogo entre o Poder Público, a Comunidade Escolar e a Sociedade Civil.

Confira a íntegra da lei:

Diretrizes da escola de tempo de integral 

“A próxima escola que será integralizada, é a Elizabeth Trzoseki, que fica em Paulista e tem cerca de 250 alunos. Este ano vamos trabalhar na reforma do prédio, levantamento de custos, elaboração do conteúdo, para que em 2022 a escola possa começar a atender em tempo integral, beneficiando não só a sede do distrito, mas dezenas de alunos de outras comunidades próximas”, informa a secretária.

“A experiência da escola integral está sendo muito positiva. Nossos alunos estão felizes. A acolhida é um diferencial da escola: Como receber o aluno, como fazer com que ele se sinta importante e que, de fato, nós, que estamos aqui, estamos trabalhando em favor da vida deles, para uma formação diferenciada”, observa a secretária municipal de Educação, Delma do Carmo Ker e Aguiar.

E continua: Não é só o tempo maior na escola, mas um tempo com qualidade, principalmente depois que essas crianças ficaram distanciadas da instituição por causa da pandemia.”

Leia também

Polícia investiga morte de menino de 2 anos em São Mateus

A Polícia Civil do Espírito Santo investiga a morte do menino Izaque Miguel Felizardo dos Santos, de dois...

Ministro defende aumento de bolsas de pesquisa em audiência na Câmara

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Paulo Alvim, defendeu hoje (25) a necessidade de ampliação do orçamento...

ES: homem morre após ser atropelado e arrastado por 50 metros por carreta

Um homem em situação de rua morreu logo depois de ser atropelado por uma carreta na noite desta...

Espírito Santo registrou quase 900 internações de crianças por síndrome respiratória; saiba cuidados para evitar internações

Pronto-Atendimento (PA) de São Pedro, em Vitória, em 4 de maio O aumento nos casos de doenças respiratórias como...

NORDESTE: Defesa Civil Nacional reconhece situação de emergência em mais 14 cidades

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), reconheceu, nesta segunda-feira (23), a situação de...

Corpo de idosa que sumiu após sair de missa é encontrado boiando em rio no Espírito Santo

Foi encontrado na tarde de sábado (21) em um rio em uma região de mata próximo ao limite...