Café produzido no Espírito Santo é comprado por mais de R$ 18 mil em leilão de cafés tardios

Compartilhe

Uma saca de café arábica do município de Castelo foi arrematada por R$ 18.500 no 1º Leilão de Nano Lotes de Cafés Especiais Tardios da Indicação Geográfica Montanhas do Espírito Santo. O café é da produtora Liliane Sartori e foi arrematado pela empresa Faf Coffees ES. O segundo maior preço de arremate foi de R$ 12 mil, para o café do produtor Marciano Nalli, também de Castelo. O evento foi realizado no dia 28 de janeiro último, em Venda Nova do Imigrante, e reuniu mais de 100 pessoas, entre cafeicultores e compradores.

O leilão foi realizado pela Associação de Produtores de Cafés Especiais das Montanhas do Espírito Santo (ACEMES) e pela Prefeitura de Venda Nova do Imigrante, com apoio de instituições parceiras e patrocinadores. Um dos principais objetivos do evento é valorizar a qualidade dos cafés tardios da região, pois, como são colhidos tardiamente, os produtores ficam impossibilitados de participem de concursos de qualidade com esses cafés.

A classificação dos cafés foi feita com o auxílio do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper). A análise sensorial dos cafés foi feita no Centro de Cafés Especiais do Espírito Santo (CECAFES), localizado na Fazenda Experimental do Incaper de Venda Nova do Imigrante.

“Os lotes finalistas do leilão de cafés tardios das Montanhas do Espírito Santo surpreenderam o paladar e o olfato de todos os provadores, foi uma coroação para fechar com chave de ouro a colheita de 2021. Tivemos cafés exóticos com uma riqueza muito grande de aromas e sabores, trazendo para a xícara melado, rapadura, frutas amarelas, chocolate, mel, floral e caramelo. Os cafés também apresentaram acidez equilibrada, licorosa, e fosfórica, corpo intenso e marcante com finalização suave agradável e prolongada”, relatou Douglas Gonzaga, extensionista do Incaper e coordenador do CECAFES.

O diretor-presidente da ACEMES, Rodrigo da Silva Dias, destacou a importância da parceria com o Incaper para a IG Montanhas do ES. “A estrutura dos escritórios locais nos permite chegar a todos os municípios e produtores da área de abrangência da ACEMES. O Incaper também trabalha com a realização de cursos e treinamentos para aperfeiçoamento do produtor visando à agregação de valor na atividade cafeicultura. O primeiro passo para fazer parte da IG é procurar o escritório do Incaper local para verificação do nível de sustentabilidade da propriedade, por isso, o Instituto é tão importante na parceria”, destacou Dias

A atuação do Incaper para a realização do leilão começou no campo, conforme explicou o gerente de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) do Incaper, Fabiano Tristão. “O nosso trabalho começou lá atrás, no início da colheita. Por meio dos nossos técnicos dos escritórios locais, incentivamos os agricultores a produzir cafés para nanolotes, de alta qualidade. Trabalhamos com as tecnologias e técnicas que o Incaper preconiza para produção desses cafés. A partir disso, a gente trabalhou com o regulamento desse leilão e começamos a divulgar e incentivar a participação dos produtores no evento”.

Os lotes analisados para o leilão apresentaram pontuação acima de 87 pontos. A partir da análise, foram classificados os dez primeiros colocados. O Incaper também atuou no dia do evento com palestras sobre “Inovações tecnológicas para produção de cafés especiais”, que teve a participação dos extensionistas César Abel Khroling e Fabiano Tristão.

“Os cafés foram comercializados com preços extraordinários. O leilão foi uma importante ação de visibilidade para os cafeicultores e uma excelente oportunidade de agregação de valor a esses cafés especiais produzidos nas montanhas do Espírito Santo. O nosso objetivo também é contribuir para a agregação de valor dos cafés”, ressaltou Fabiano Tristão.

Os dez lotes de cafés que participaram do leilão são de agricultores de Castelo, Vargem Alta, Marechal Floriano e Afonso Cláudio, sendo os municípios inseridos na região de abrangência da Indicação Geográfica dos cafés das Montanhas do Espírito Santo. A excelência de aromas e sabores e diversidade de perfis sensoriais apresentados pelos cafés finalistas demonstra o potencial da região para produção de cafés exóticos. O terroir característico da região é resultado das interações entre local, clima e tecnologias aplicadas pelos agricultores.

Texto: Andreia Ferreira

 

Leia também

PL oficializa filiação e pré-candidatura de Carlos Manato ao governo do Espírito Santo

  Carlos Manato se filiou ao PL e é pré-candidato ao governo do ES — Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil O...

Curral Intermunicipal de Leilões do Polo Industrial está pronto para ser utilizado

O prefeito de Barra de São Francisco, Enivaldo dos Anjos anunciou, logo no início do seu mandato a...

Secretaria de Obras da prefeitura realiza reparos em calçamentos no Campo Novo

Os reparos em calçamentos ocorreram nesta quinta-feira (04), no bairro Campo, onde os servidores da secretaria de Obras...

‘Ainda não sei’ comenta Simone sobre possível volta aos palcos com Simaria

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A cantora Simone, 38, dupla de Simaria, 40, usou seus Stories do Instagram...

Acidente com vítima e apreensão de motocicleta foram os acontecimentos em São Gabriel da Palha

Na tarde do último sábado (30), uma guarnição da Polícia Militar deslocou até o Centro de São Gabriel...

Nova Venécia dá adeus ao Padre Railson

  Faleceu na noite desta quinta-feira (04), por volta das 22h30, o padre Railson Ribeiro Teles de Jesus, aos...

  “Esquenta Pomitafro”. A Cidade em clima de Festa

          A movimentação em torno da realização da 23ª Pomitafro se...

Mais de 3 mil recenseadores iniciam visitas a domicílios do Espírito Santo para Censo 2022: veja como identificá-los

  Trabalhadores do IBGE começam a ir às ruas no ES para coletar dados do Censo 2022 Começa nesta segunda-feira...