Cadelinha é adotada por posto de combustíveis no Espírito Santo, vira ‘frentista’ e ganha crachá

Uma cadelinha se tornou o xodó de funcionários e clientes de um posto de gasolina em Castelo, no Sul do Espírito Santo. A reportagem é da TV Gazeta.

Pandora chegou lá há três anos, com fome e com sede. O frentista Cleyton Brites contou que, na época, os funcionários deram um pouco da comida da própria marmita para ela.

Pandora, cachorrinha que se tornou 'funcionária' de posto de gasolina em Castelo

Pandora, cachorrinha que se tornou ‘funcionária’ de posto de gasolina em Castelo

“A gente dava um pouco de comida da marmita e ela comia. Só que na hora de ir pra casa e seguir o caminho dela, não ia, ela ficava aqui no posto”, lembrou Cleyton.

Com o tempo, Pandora conquistou o coração dos funcionários. Hoje, ela tem ração, água, e até um até crachá do posto.

Pandora, cadelinha que foi acolhida em posto de gasolina em Castelo

Pandora, cadelinha que foi acolhida em posto de gasolina em Castelo

“Ela traz alegria para gente. Todos os dias é carinhosa conosco. Pode ser o tempo que for, brinca com a gente”, contou Cleyton.

“Todo mundo quer brincar com ela, tirar foto”, disse.

Frentista mima a cachorrinha Pandora no posto de gasolina em Castelo

Frentista mima a cachorrinha Pandora no posto de gasolina em Castelo

Quando o trabalho de todo mundo termina, o da Pandora começa. Ela tem uma função bem definida: a de vigia noturna.

“Ela é a funcionária noturna. Qualquer movimento que tem durante a noite ela dá o sinal, late, chama a atenção”, garantiu o gerente Cleber Beraldi.

Além do carinho dos funcionários, Pandora também conquistou os clientes do posto.

“A recepção com certeza é a melhor que tem. Chega, ela vem, a gente toma cuidado pro caminhão não passar em cima dela. A gente desce do carro, ela rodeia a gente”, contou o motorista Roberto dos Santos.

Pandora descansa no posto de gasolina em que 'trabalha' em Castelo

Pandora descansa no posto de gasolina em que ‘trabalha’ em Castelo