Brasil tem queda de 42,6% nos casos de dengue entre 2020 e 2021, mas números ainda são altos

Compartilhe

O Brasil registrou queda de 42,6% no número de casos prováveis de dengue entre 2020 e 2021. No ano passado, foram notificadas 543.647 infecções, contra 947.192 em 2020. Os dados são da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde. 

Entre os casos de zika, houve uma pequena redução de 15%, passando de 7.235 notificações em 2020 para 6.143 em 2021. Já a chikungunya registrou aumento de 32,66% dos casos, com 72.584 em 2020 e 96.288 no ano passado.

O coordenador-geral de Vigilância de Arboviroses do Ministério da Saúde, Cássio Peterka, afirma que quase todos os municípios do Brasil possuem transmissão de dengue, zika ou chikungunya, ou as três concomitantemente. 

“Hoje, mais de 70% dos casos de dengue se concentram em menos de 200 municípios do país, mas não quer dizer que os outros restantes para completar 5.570 municípios não devam ter ações.”

Devido às altas temperaturas e às chuvas abundantes, o verão é o período do ano em que os ovos eclodem e acarretam o aumento de infecção por dengue, chikungunya e zika. Por isso, fique atento às dicas para evitar a proliferação do mosquito:

O combate ao Aedes aegypti, transmissor das três doenças, é a principal forma de prevenção. Campanha do Ministério da Saúde orienta que essas medidas para evitar água parada sejam incorporadas na rotina da população, como explica Cássio Peterka. 

“A grande importância de combater o mosquito é que não teremos pessoas doentes se não tivermos muitos mosquitos. Então a campanha desse ano traz à tona a questão de cada um buscar a responsabilidade dentro do seu quintal, do seu local de trabalho e utilizar dez minutos da sua semana para que ele faça uma revisão nos principais locais onde possam ter criadouros do mosquito e elimine esses criadouros, não deixe que o mosquito nasça.”

O sanitarista da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) de Brasília, Claudio Maierovitch, destaca que 2020 foi um ano de muitos casos e, por isso, não se deve relaxar com a queda de contágios em 2021.

Mesmo não tendo havido aumento de um ano para o outro, essa não é boa comparação, uma vez que o ano anterior foi de números altos”, alerta.

Para evitar a proliferação do mosquito, a população deve checar calhas, garrafas, pneus, lixo, vasos de planta e caixas d’água. Não deixe água parada. Combata o mosquito todo dia. Coloque na sua rotina.

Aedes Aegypti - Foto: FiocruzAedes Aegypti – Foto: Fiocruz

Leia também

Auxílio Brasil de no mínimo R$ 400 reduz a pobreza e injeta recursos na economia dos municípios

Desde a entrada em vigor, em novembro de 2021, o Auxílio Brasil vem contribuindo de forma decisiva para...

‘Me senti um nada’, diz mãe de menina de 11 anos que teve aborto negado

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A mãe da criança de 11 anos que engravidou após ser vítima de...

Aeroporto de Vitória volta a ter voos diretos para Fortaleza

O Aeroporto de Vitória vai voltar a ofertar voos diretos para Fortaleza a partir de julho. O voo inaugural...

Mais de cem pacientes renais visitam a clínica Med.Álise e demonstram sua ansiedade pelo tratamento em Barra de São Francisco

O aposentado Ludovico Saar, 73 anos, luta pela vida há décadas com problemas renais. Ele já chegou a...

Prefeitura constrói mais uma ponte e um bueiro na região do Rio Campo, em Monte Sinai

A Secretaria Municipal de Interior e Transportes (Semte), entregou neste início de semana, mais uma ponte e um...

Vacinação contra a gripe é ampliada para toda população francisquense

Já está válida em todo o município de Barra de São Francisco a ampliação para a vacinação contra...

A cada aborto legal, 11 meninas são internadas por interrupções provocadas ou espontâneas

CRISTIANO MARTINS E ISABELA PALHARES SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A cada aborto legal feito em meninas de...

Revalida 2022 aplica segunda etapa de provas

A aplicação da segunda etapa do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituição de Educação Superior Estrangeira...