Brasil incentiva pesquisas para combate ao novo coronavírus

Ministros detalham ações das pastas

Coletiva de imprensa com os ministros Nelson Teich (Saúde) e Marcos Pontes (MCTIC), no Palácio do Planalto, para tratar sobre as ações de enfrentamento à Covid-19.
– Foto:
Alan Santos/PR

Na coletiva de imprensa desta quarta-feira (6), no Palácio do Planalto, os ministros da Saúde, Nelson Teich, e de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, descreveram as ações das respectivas pastas para atenuar os efeitos do novo coronavírus no País.

O ministro Marcos Pontes abriu a reunião citando as ações de apoio na área de tecnologia, boa parte delas com incentivos à área de pesquisa. Ele afirmou que a chamada pública da Finep de R$ 5 milhões para o desenvolvimento de equipamentos de proteção individual e coletivo recebeu 81 propostas de soluções inovadoras. 

O ministro disse ainda que uma parceria entre o MCTIC e a UnB está testando e desenvolvendo um sistema de radiação ultravioleta para fazer a descontaminação de máscaras N-95. A tecnologia está sendo testada em seis hospitais, entre eles, o Hospital de Base de Brasília e o Hospital Regional da Asa Norte (Hran). 

De acordo com o ministro Pontes, no próximo dia 15, a pasta irá assinar com seis instituições uma encomenda tecnológica sobre edital com investimento de R$ 1,5 milhão que prevê formulação de uso de novas matérias-primas para a produção de álcool em gel. 

De acordo com ele, a chamada pública com investimento de R$ 50 milhões – anunciada no mês passado em parceria com o Ministério da Saúde para financiar pesquisas sobre novos métodos de diagnóstico, tratamento e interrupção da transmissão do novo coronavírus – recebeu 2.203 projetos cadastrados. O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) analisa as contribuições para a divulgação final. 

Marcos Pontes também comentou sobre as reuniões de ministros de outros países sobre a pandemia. “A cada 15 dias, participamos de um conjunto de 15 ministros de Ciência e Tecnologia, onde conversamos sobre os efeitos e as soluções para minimizar os efeitos da Covid-19. Ele ressaltou ainda a importância de o governo de estar preparado para enfrentar novas pandemias. “Essa pandemia nos mostrou a necessidade de termos sistemas preparados. A questão não é se vamos ter outra, mas quando”.

Mais leitos 

O ministro da Saúde, Nelson Teich, destacou que o governo habilitou mais 592 leitos de UTI, em 16 estados, para tratar pacientes com Covid-19. “Mapeamos as necessidades e ajustamos as mais urgentes”. 

Teich afirmou também que as visitas do ministério da Saúde às cidades afetadas pelo novo coronavírus vão continuar. Segundo ele, as visitas são importantes para que o Governo Federal entenda o que os governos e as secretarias locais estão fazendo para combater o novo coronavírus.

“Foi importante ter visitado Manaus e ver como as coisas estão funcionando. Independentemente da região, mesmo em uma mesma cidade, é possível ter situações diferentes. Percebemos que a lógica da doença pode mudar, dependendo do nível social. Isso nos ajuda a definir a melhor forma de trabalho em cada local”, disse. 

O estado de Amazonas recebeu do governo reforço financeiro na ordem de R$ 1,440 milhão e conta com 110 leitos habilitados (dez a mais na data de hoje).

Em relação a pesquisas com medicamentos, o ministro tem a expectativa de que, até o fim do dia, saia um estudo brasileiro preliminar com quase 100 hospitais envolvendo hidroxicloroquina em comparação a outras substâncias. “É possível que ainda hoje já tenhamos alguma informação preliminar de novos estudos a respeito de efetividade, efeitos colaterais e efeitos benéficos e novas drogas. Esses estudos vão nos ajudar a recomendar o melhor medicamento”.  Nelson Teich salientou que profissionais australianos farão a análise final, para garantir a imparcialidade no resultado preliminar.   

Já para a produção de medicamento, o MS está conversando com laboratórios que poderão produzir vacinas para que o País garanta uma cota delas, caso surja alguma. A ideia, segundo o ministro, é já negociar antecipadamente para garantir ao Brasil esse tipo de recurso. 

Questionado sobre o isolamento social, Teich defendeu a existência de diversos níveis de distanciamento. “Não há defesa ou oposição ao isolamento. É necessário fazer o que é certo no lugar certo”, salienta. Para ele, a disputa política não deve fazer parte desse debate. “A cooperação é necessária, sem conflitos e sem desgastes”, afirma. 

Leia mais

MEC orienta instituições sobre ensino durante pandemia

Documento sugere que as escolas mantenham um fluxo de atividades escolares não presenciais enquanto durar a situação de...

Governo Federal anuncia recursos para abrigos de idosos

A campanha Solidarize-se começou em dezembro de 2019. – Foto: banco de...

Alunos de Ibitirama fazem doações para Apae

Fraldas, produtos de higiene pessoal e outros itens foram doados, nessa terça-feira (10), por alunos da...

Distribuidoras podem voltar a vender bebidas nos finais de semana

Após duas semanas, o Governo do Espírito Santo voltou atrás e revogou a regra que impedia a venda de bebida alcoólica em distribuidoras aos...

Leia também

Deputados aprovam regras para reabertura de templos religiosos

Foi aprovado, em regime de urgência, durante a...

Mais de 460 casos de covid-19 são constatados em casas de repouso para idosos, aponta MPES

O Ministério Público do Espírito Santo constatou que...

Último dia para quem quer participar do Sisu do meio do ano se inscrever no sistema

Estudantes que participaram da edição de 2019 do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) podem se inscrever, até esta sexta-feira, 10, para o Sistema de Seleção...

Menino de quatro anos morre afogado em córrego no Noroeste do Espírito Santo

O pai da criança, Adriano Gomes, estava trabalhando na lavoura de café e conta que o menino ficou sozinho enquanto a mãe saiu para...