Brasil debate aumento do acesso a medicamentos e outras tecnologias de saúde

A Organização Mundial de Saúde (OMS) promoveu, de 21 a 25 de junho, o Fórum Mundial de Produção Local: Melhorando o acesso a medicamentos e outras tecnologias de saúde (WLPF). No evento on-line, que reuniu governos, associações industriais e comunidade científica internacional, o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, comentou sobre múltiplas frentes de cooperação lideradas pelo Governo Federal e sobre o papel das parcerias e cooperações regionais na aceleração da produção local.

“Este tema é muito importante e oportuno neste momento que estamos vivendo. A Covid-19 tem sido um grande problema para todos os países e, com certeza, nos ensinou importantes lições a serem seguidas de agora em diante. A ciência como única arma que temos para lutar contra um inimigo comum, que é a crise sanitária, e o trabalho conjunto para encontrarmos juntos as melhores e mais rápidas soluções são alguns desses exemplos”, explicou o ministro durante o debate “Acelerando a produção local por meio de parcerias e cooperação”.

O incentivo garantido pelo Governo Federal aos produtores locais de insumos e equipamentos e à inovação na busca de novas soluções também foi citado pelo ministro: “Incentivar a produção local foi uma das maneiras de mitigar problemas de logística para envios internacionais e também de adaptar soluções específicas para cada país, levando em consideração cada região e especificidade”.

Henrietta Fore, diretora-executiva do Fundo das Nações Unidas para a Infância, afirmou durante a abertura da plenária: “A Unicef conta com a produção local em todo o nosso trabalho. Reconhecemos que, quando os produtos são fabricados mais perto das pessoas que deles precisam, as cadeias de abastecimento são mais eficientes, os custos de envio são mais baixos, o envio é mais rápido, e nossas operações têm um impacto ambiental muito menor, e é por isso que incentivar a produção local de medicamentos e insumos de saúde é uma parte tão importante do nosso trabalho”.

Ao longo do evento, o debate global sobre produção local e transferência de tecnologia para melhorar o acesso a tecnologias e produtos de saúde seguros, eficazes e de qualidade e para salvaguardar a segurança da saúde global, regional e nacional reuniu diversos países e deve resultar na criação, entre outras soluções, de uma plataforma digital de apoio à produção local de insumos nos países menos privilegiados.