Brasil debate a redução de gases e efeitos da pandemia em evento internacional

Brasil debate a redução de gases e efeitos da pandemia, em evento internacional

ministro participou da Cúpula sobre Transições para Energia Limpa. Foto: Bruno Spada/MME

Representantes de países que consomem 80% da energia mundialmente produzida participaram, nesta quinta-feira (09), da Cúpula sobre Transições para Energia Limpa (Clean Energy Transitions Summit). O evento da Agência Internacional de Energia foi uma oportunidade para gestores discutirem, neste momento de pandemia de Covid-19, além da redução de emissões globais, medidas para impulsionar economias, criar empregos e minimizar impactos negativos no setor elétrico.

Ao discursar na cúpula, por videoconferência, o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, disse que o Brasil pode “desempenhar um papel importante ajudando os países a lidar com o impacto de curto prazo da pandemia sobre o setor de bioenergia”.

E completou: “Podemos aproveitar a oportunidade para reconstruir melhor, reduzindo emissões por meio de políticas inteligentes e mecanismos de mercado”.

Segundo o ministro, a cooperação internacional, neste momento de pandemia, é fundamental para a recuperação das nações; e que o Brasil, em particular, quer desenvolver parcerias no setor de hidrogênio de baixo carbono.

“Reconhecemos a liderança da agência internacional de energia no chamamento global em favor de uma recuperação sustentável que ofereça soluções concretas para impulsionar a economia, gerar empregos e posicionar as emissões em declínio estrutural”, disse o ministro.

No evento, Bento Albuquerque também destacou as principais medidas do governo brasileiro para minimizar os efeitos da pandemia no setor elétrico. Citou o apoio aos consumidores de baixa renda e o empréstimo emergencial concedido pelo Governo Federal às empresas de energia elétrica, conhecido como Conta-Covid, que já liberou R$ 14,8 bilhões para 50 distribuidoras.

As duas ações, segundo o Governo Federal, vem ajudando a aliviar os impactos da crise nas contas de luz pagas pelos consumidores e também preservar a liquidez das empresas de energia, que vem sofrendo com a redução de receita, em função da queda de demanda e do aumento da inadimplência neste momento de pandemia.

Bento Albuquerque também falou sobre as ações para garantir segurança energética e sustentável no país no período pós pandemia. “Nossos planos decenal e de trinta anos estão sendo adaptados aos efeitos da pandemia e serão tornados públicos no final deste mês de julho”. E acrescentou: “Elaboramos planos para a modernização dos ativos de transmissão, que deverão atrair investimentos significativos nos próximos anos. Desenhamos novos arcabouços legais e regulatórios para a modernização do setor de energia e o novo mercado de gás”.

O ministro anunciou que o país está finalizado um modelo de negócios para ser apresentado a potenciais parceiros para a construção de novas usinas nucleares previstas para os próximos anos.

Conta-Covid

A Conta-Covid foi pensada e criada pelo Governo Federal para diluir o reajuste nas tarifas de energia para o consumidor e dar liquidez às distribuidoras, num momento em que a economia enfrenta perdas e recessão.

Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), se não fosse esse empréstimo emergencial às concessionárias, o aumento da conta para o consumidor teria sido elevado em função, principalmente, do reajuste do preço da energia gerada em Itaipu, que acompanha a variação do dólar; a alta na remuneração das políticas públicas do setor; e o repasse de custos de novas instalações de sistemas de transmissão.

Sem a Conta-covid, todas essas despesas seriam incluídas integralmente nas contas de luz para serem pagas em 12 meses. Com a conta, esse impacto será diluído num prazo total de 65 meses.

Das 53 concessionárias de distribuição existentes no país, 50 já formalizaram o pedido de empréstimo pela Conta-Covid. Um valor total de R$ 14,8 bilhões.

Isenção do pagamento da conta de energia

Como parte dos esforços do Governo Federal para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus, uma Medida Provisória editada em abril garantiu isenção nas tarifas de energia para os consumidores beneficiários da tarifa social. A isenção de pagamento durou três meses e foi destinada aqueles que consumiam até 220 kWh/mês.

Leia mais

Brasil vai começar a testar vacina de Oxford para Covid-19

A vacina para Covid-19 desenvolvida pela Universidade de Oxford, no Reino Unido, será testada em brasileiros. A análise terá apoio do Ministério da Saúde...

Governador Renato Casagrande apresenta medidas de lockdown ao Ministério Público

Renato CasagrandeO governador Renato Casagrande apresentou ao Ministério...

Grupo de Trabalho que debate retorno às aulas presenciais realiza nova reunião

O Grupo de Trabalho (GT) que debate o retorno das aulas presenciais do ano letivo de...

Inquérito Sorológico aponta que mais de 386 mil capixabas já tiveram contato com o novo coronavírus

O secretário de Estado da Saúde, Nésio Fernandes,...

Leia também

Eleições 2020: Candidatos entram na regra de conduta vedada a partir deste sábado (15); saiba mais

A partir do dia 15 de agosto, agentes públicos de todo o País vão estar proibidos de praticar diversas condutas devido às eleições municipais,...

Titulares de imóveis rurais podem solicitar emissão do Certificado 2020

A liberação para emissão do Certificado de Cadastro de Imóvel Rural 2020 (CCIR) vai estar liberada a partir do dia 17 de agosto. A...