Bolsa Atleta encerra fase de inscrições com quase 7,5 mil inscritos

Bolsa Atleta encerra fase de inscrições com quase 7,5 mil inscritos

Inscrições foram feitas em mais de 70 modalidades olímpicas e paralímpicas. Foto: Tânia Rego / Agência Brasil

A fase de inscrições do edital 2021 do Bolsa Atleta foi encerrada nessa segunda-feira (15). Em um ano marcado pela inovação tecnológica, com um novo sistema que permitiu o envio de toda a documentação de forma on-line, o programa registrou um número expressivo de inscritos em modalidades olímpicas e paralímpicas: 7.427 atletas.

“O total de inscritos deste ano só não é superior ao edital de 2019, quando 7.660 atletas se inscreveram”, comparou Mosiah Rodrigues, coordenador-geral do Bolsa Atleta. “Mas, naquele ano, a inscrição era aberta, ou seja, não era preciso comprovar resultados que posteriormente garantiriam o direito ao benefício no ato da inscrição. Agora, com o novo sistema, um cadastro prévio de CPF já delimita quem tem direito a se inscrever, de acordo com os resultados chancelados pelas confederações esportivas. Com isso, esperamos que o número final de beneficiários seja bem próximo do número de inscritos”, explicou Mosiah.

“Foram quase 7.500 inscritos, de mais de 70 modalidades olímpicas e paralímpicas, um número incrível, e agora vamos partir para a próxima fase, de análise das documentações. Nossa expectativa é superar os 6.357 contemplados em 2019 e estabelecer um novo recorde de um único edital do Bolsa Atleta”, afirmou Bruno Souza, secretário Nacional de Alto Rendimento (SNEAR) da Secretaria Especial do Esporte, do Ministério da Cidadania.

O programa recebeu 521 inscritos na categoria estudantil, 325 na categoria de base, 4.971 na Nacional, 1.221 na internacional e 389 na categoria olímpico/paralímpico. Atletas de todas as 27 unidades da Federação manifestaram interesse no programa e São Paulo foi quem mais teve inscrições, com 2.449 atletas, seguido de Rio de Janeiro (880), Paraná (655), Santa Catarina (498), Minas Gerais (484) e Rio Grande do Sul (433). Na divisão por regiões, são 3.924 da Sudeste, 1.586 da Sul, 1.111 da Nordeste, 524 da Centro-Oeste e 282 da Norte. Dos 7.427 inscritos, 4.248 são homens e 3.179, mulheres.

No total, atletas de 72 modalidades, entre olímpicas e paralímpicas, de verão e de inverno, efetuaram as inscrições. O atletismo paralímpico lidera, com 540 inscritos, seguido do atletismo olímpico (524), handebol (347), taekwondo (335), natação (321), beisebol e softbol (302), judô (278), tiro esportivo (264), rúgbi de 7 (257), natação paralímpica (249) e polo aquático (210). Do total de inscritos, 5.795 (78%) são atletas de esportes olímpicos e 1.632 (22%) são de modalidades paralímpicas.

Este ano, a previsão orçamentária para o Bolsa Atleta é de R$ 145 milhões, a maior desde 2014 e superior, inclusive, ao investimento do programa em 2016, ano dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio, quando foram aplicados R$ 143 milhões.

O programa

O Bolsa Atleta é um dos maiores programas do mundo de patrocínio direto ao atleta e apresenta resultados fundamentais para o esporte brasileiro. Desde a criação, em 2005, já foram concedidas mais de 69,5 mil bolsas para 27 mil atletas de todo o país. O valor destinado pelo programa desde a implantação supera a marca de R$ 1,2 bilhão.

São cinco categorias de benefícios: atleta de base, com valor mensal de R$ 370, Estudantil (R$ 370), Nacional (R$ 925), Internacional (R$ 1.850) e atleta olímpico/parailímpico (R$ 3.100).

 

Leia mais

Leia também