Bolinha reforça importância da quarentena e faz apelo à população de Vila Pavão

O prefeito de Vila Pavão, Uelikson Boone, o Bolinha, concedeu entrevista para a Rede Notícia nesta segunda-feira (22), para falar sobre a situação da pandemia do novo coronavírus no município. As informações são de Jhon Martins.

Segundo Bolinha, foi baixado um Decreto Municipal baseado no contexto da pandemia e nos efeitos que ela tem causado em Vila Pavão. A partir de então, iniciou-se uma discussão com a sociedade, com o comércio local, com a CDL, com lideranças religiosas e outros segmentos da sociedade para levar informações. “Nesse momento, onda a pandemia assola o mundo, o País, o nosso Estado e os nossos municípios, com Vila Pavão sofrendo muito nos últimos dias, a gente tem que tomar essas medidas e realizar uma força-tarefa, um trabalho conjunto entre o poder público, o comércio local e a sociedade, com cada cidadão tendo a sua responsabilidade. Temos visto casos próximos de nós, com famílias de amigos e até parentes perdendo seus entes, pessoas próximas. É preciso cada um de nós nos sensibilizarmos com essa situação, porque o mais correto que devemos fazer é nos colocar no lugar de quem perdeu alguém, que aí começaremos a sentir um pouquinho da dor que aquela família está sentindo”.

De acordo com o prefeito, os números relacionados a casos e ocupação de leitos nos últimos dias têm sido assustadores, o que o levou a fazer um apelo à população pavoense. “Vemos profissionais da saúde lançando um apelo para a sociedade e gente brincando, achando que a pandemia é coisa da cabeça dos outros. Temos que nos sensibilizar, toda sociedade, todos juntos, para conseguirmos, nos próximos dias, fazer um trabalho e frear esse avanço. Esse trabalho vai exigir, de cada um de nós, uso dos protocolos sanitários, distanciamento social, mesmo sendo difícil ficar sem poder ir na casa de alguém ou circular livremente pela cidade, mas é preciso nesse momento. Outro apelo é que quando for ao comércio fazer uma compra essencial, por favor, vá um só de cada família para que tenhamos um trânsito menor de pessoas nas ruas”, pediu Bolinha.

O prefeito frisou que o Vila Pavão irá seguir, integramente, o Decreto Estadual nº 4838-R, de 17 de março de 2021, que suspende o funcionamento de quaisquer serviços e atividades, à exceção dos considerados essenciais, em todo o território capixaba até o próximo dia 31. “Nos reunimos com o governador, por meio de videoconferência, com vários segmentos da sociedade, órgãos de saúde, Secretaria de Estado da Saúde, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Tribunal de Contas do Estado do Espírito Santo e Ministério Público do Espírito Santo. Quase a totalidade dos prefeitos estava presente e foram discutidas as medidas e informações e dúvidas foram sanadas. Ficou bem claro, inclusive pelo TCE-ES e pelo MPES, que o Decreto do Governo do Estado foi baixado para ser seguido na íntegra pelos municípios”.

Comércio
“Temos consciência que o comércio tem sentido muito e sabemos que vai haver um reflexo forte nele, porque ele depende do dia a dia para sua sobrevivência, mas temos conversado com os comerciantes que, segundo o Decreto do Governo do Estado, que estamos seguindo na íntegra, não podem funcionar com as portas abertas. Pedimos essa parceria, esse entendimento e se tenha paciência para cumprir as medidas e possamos fazer nossa parte na busca de diminuir os índices assustadores dessa pandemia”.

Bolinha ainda frisou que os comércios considerados não essenciais estão trabalhando com uma dinâmica através das redes sociais e por telefone, com a entrega na residência do consumidor para que ele, mesmo assim, efetue suas compras.

Colheita de café
O prefeito disse que a colheita de café que se aproxima tem sido outra grande preocupação do município. “Se fizermos algo de errado agora e não conseguirmos, nos próximos dias, frear a pandemia, corremos o risco de ter sérios reflexos na colheita do café, que é de grande importância para todos em Vila Pavão. Para aqueles que são produtores, para os que vão trabalhar nas lavouras e para o comércio local, também, porque é o momento do ano que mais gira dinheiro. Estamos correndo o risco de haver o impedimento de pessoas de fora virem trabalhar na colheita, de famílias terem alguém hospitalizado e ainda haver essa preocupação maior. Isso traz uma série de reflexos para nós e que nos faz pedir para cumprirem com os cuidados necessários”.

Coronavírus em Vila Pavão
Até o momento, de acordo com o último boletim epidemiológico, divulgado na tarde desta segunda, foram notificados 2.330 casos em Vila Pavão, com 1.407 descartados e 841 casos confirmados. Destes, 771 pessoas conseguiram se recuperar, 60 seguem ativos, sendo que quatro pacientes estão hospitalizados e 10 vieram a óbito. Outras 57 pessoas seguem como suspeitas.

 

Leia mais

Leia também