Bogotá vive mais uma noite de repressão contra manifestantes


A capital colombiana viveu mais uma noite de repressão por parte do Esquadrão Móvel Antimotim (Esmad) contra manifestantes.

De acordo com informações de organizações de direitos humanos, a polícia disparou bombas de gás lacrimogêneo contra as pessoas que documentavam a ação policial.

Entre os feridos da nova repressão da Esmad está um correspondente da mídia “Colômbia Informa”.

Por meio das redes sociais, organizações de defesa dos direitos humanos denunciaram que a polícia atirou contra civis desde um caminhão e uma motocicleta nos bairros da Chicala e da Britalia.

Nesta segunda-feira (10), foi denunciada a morte de Daniel Alejandro Zapata, que se tornou a primeira vítima fatal a cair na capital colombiana, Bogotá, em meio a protestos sociais.

A prefeita de Bogotá, Claudia López, lamentou “profundamente” a morte de Zapata. No entanto, assegurou que seu gabinete não tinha conhecimento desse caso, para o qual ordenou o início de uma investigação.

Segundo a organização não governamental Temblores e o Instituto de Estudos para o Desenvolvimento e a Paz (Indepaz), até sábado, pelo menos 47 pessoas foram assassinadas na Colômbia, 39 devido à violência policial e foram feitas 963 detenções arbitrárias no âmbito das mobilizações.

As organizações de direitos humanos alertaram sobre 12 casos de violência sexual, 548 desaparecidos, 28 vítimas de lesões oculares, 278 agressões policiais e 1.876 atos violentos. A maioria das vítimas fatais são jovens e quatro eram menores, informa a Telesul.

 

 

(Foto: Reuters)

Leia mais

Leia também