Boa notícia: Espírito Santo não registra mortes de profissionais de saúde por Covid-19 há mais de três semanas

O Espírito Santo não registra mortes de profissionais da saúde por Covid-19 desde o dia 29 de janeiro. A informação foi dada pelo secretário de Estado da saúde, Nésio Fernandes, em uma coletiva de imprensa pelas redes sociais na tarde desta quarta-feira (17), e publicada por Any Cometti, no G1 ES.

Até a última atualização do Painel da Covid-19, do governo do Espírito Santo, 65 profissionais da saúde morreram em decorrência da doença no estado desde o início da pandemia.

“Esta população-alvo já possui uma cobertura vacinal superior a 60% no nosso estado e já é possível perceber resultados de curto passo na repercussão dos óbitos entre trabalhadores da saúde”, comemorou Nésio.

O secretário explicou que esse resultado já é uma repercussão da cobertura vacinal do grupo. De acordo com o Painel de Vacinação, 101 mil trabalhadores da saúde receberam a primeira dose do imunizante e em 42 mil já foram aplicadas as duas doses.

Com relação aos idosos com mais de 90 anos, que também foram vacinados nessa primeira etapa, o secretário explicou que a redução nos óbitos poderá ser vista a partir da segunda quinzena de março.

“A repercussão da redução dos óbitos entre a população com mais de 90 anos poderá ser percebida ao longo do mês de março, em especial na segunda quinzena, ao avaliar retrospectivamente a repercussão da vacinação e avaliar a correspondência da cobertura vacinal dessa população”.

O secretário voltou a dizer que os municípios que tenham doses de vacinas contra a Covid-19 excedentes, que sobram após a vacinação do primeiro grupo prioritário, poderão adiantar a imunização de idosos de outras faixas etárias, conforme já havia sido anunciado.

Além disso, de acordo com o subsecretário de vigilância epidemiológica, Luiz Carlos Reblin, novas doses da vacina contra o coronavírus devem chegar na próxima semana ao estado.

“Temos a expectativa de que, na semana que vem, receberemos doses do Instituto Butantan, com boa expectativa da nossa parte em relação à quantidade. Mas esse número exato ainda não foi definido pelo Ministério da Saúde. já na próxima semana, devemos receber essa quantidade de vacina”, apontou.

O secretário Nésio Fernandes explicou, ainda, que o estado decidiu antecipar doses da vacina para que alguns municípios, que precisaram interromper a aplicação da primeira dose por causa da falta de vacinas, consigam imunizar todo o público-alvo da primeira etapa da campanha.

Mas o secretário enfatizou que as segundas doses foram preservadas e não vai faltar a dose de reforço para quem já tomou a primeira.

“Não tivemos interrupção, no estado, da aplicação do plano de imunização, pois foram preservadas as doses da segunda dose. Em diversos municípios, a aplicação da primeira dose foi interrompida pela escassez de doses. Isso não foi um movimento generalizado. Para impedir que a interrupção da primeira dose seja um evento mais amplo no estado, tomamos a medida de antecipar de 15 a 20 mil doses para os municípios continuarem com a aplicação da primeira dose nos grupos dessa etapa”.

 

Leia mais

Leia também