Biden diz que China não ultrapassará EUA como líder global


O presidente dos EUA, Joe Biden, declarou nesta quinta-feira (25), durante a primeira coletiva de imprensa desde que tomou posse, que não permitirá que a China assuma a liderança do mundo. O chefe da Casa Branca prometeu investir pesadamente para garantir que os EUA prevaleçam na corrida entre as duas maiores economias do mundo.
Biden disse que quando foi vice-presidente de Barack Obama passou “horas e horas” com Xi Jinping , e se convenceu de que o presidente chinês acreditava que a autocracia – e não a democracia – era a chave para o futuro, informa a Reuters.

O presidente democrata disse que deixou claro a Xi que os Estados Unidos não buscam o confronto, mas insistirão em que a China cumpra as regras internacionais de concorrência leal, comércio justo e respeito aos direitos humanos.

“A China tem uma meta geral … de se tornar o país líder do mundo, o país mais rico do mundo e o país mais poderoso do mundo”, disse ele a repórteres na Casa Branca. “Isso não vai acontecer sob minha supervisão porque os Estados Unidos vão continuar a crescer”.

Biden mirou suas críticas em Xi e no presidente russo, Vladimir Putin, por abraçar a autocracia.

“Ele é um dos caras, como Putin, que pensa que a autocracia é a onda do futuro, (e) a democracia não pode funcionar em um mundo cada vez mais complexo”, disse Biden em sua primeira entrevista coletiva desde que assumiu o cargo em janeiro.

No início de março, Biden disse à ABC News que acreditava que Putin era “um assassino”, o que gerou fúria em Moscou.

Xi Jinping e Joe Biden

Xi Jinping e Joe Biden (Foto: Aquiles Lins)

Leia mais

Leia também