Biden discutirá a China na sua primeira reunião do G7


Sputnik – O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, discutirá a pandemia do novo coronavírus, a recuperação econômica e os “desafios” impostos pela China durante sua primeira reunião do G7, disse a Casa Branca em um comunicado.

De acordo com o publicado pela agência Reuters no domingo (14), a Casa Branca aponta que Biden se concentrará “em uma resposta global à pandemia da COVID-19”, além da coordenação para a produção e distribuição de vacinas e a recuperação econômica mundial.

O comunicado da Casa Branca também ressalta a importância de todos os países industrializados manterem o apoio econômico para a recuperação e medidas coletivas para a reconstrução após a crise da pandemia.

A reunião virtual do G7 será realizada na sexta-feira (19) e é organizada pelo Reino Unido. Essa será a primeira vez que o grupo se reunirá desde abril de 2020 e também a primeira vez em que Biden se reunirá com os líderes dos países do grupo como presidente.

Ainda segundo o comunicado, o presidente norte-americano pretende discutir a “necessidade de fazer investimentos para fortalecer” a competitividade coletiva do grupo e a importância de atualizar as regras globais para enfrentar desafios econômicos como os impostos pela China. Ações para o combate ao aquecimento global também farão parte da agenda.

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson disse no fim de semana que planeja pedir mais cooperação na batalha contra a COVID-19 durante o evento virtual do G7, que reúne, além dos líderes de EUA e Reino Unido, também os da Alemanha, França, Itália, Japão e Canadá.

O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse nesta quarta-feira que os Estados Unidos e a China devem ampliar a cooperação prática e entregar resultados, acrescentando que está impressionado com a atitude do presidente chinês, Xi Jinping, de discutir as diferenças de forma franca

O vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, disse nesta quarta-feira que os Estados Unidos e a China devem ampliar a cooperação prática e entregar resultados, acrescentando que está impressionado com a atitude do presidente chinês, Xi Jinping, de discutir as diferenças de forma franca (Foto: Leonardo Attuch)

Leia mais

Leia também