Banco Ativo de Germoplasma de Arroz e Feijão recebe selo de excelência

Banco Ativo de Germoplasma de Arroz e Feijão recebe selo de excelência

O banco ativo de germoplasma da Embrapa tem um acervo de 27.006 acessos de arroz. Foto: Banco de imagens

O Banco Ativo de Germoplasma (BAG) de Arroz e Feijão da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) recebeu o selo de excelência em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I). O reconhecimento foi chancelado pela Gerência de Gestão Integrada da Qualidade (GGIQ), da Secretaria de Desenvolvimento Institucional (SDI) da Embrapa, com base no Relatório de Diagnóstico de Acompanhamento e os requisitos corporativos apresentados em acordo com o escopo do projeto QUALIVEG, que visa à adequação dos bancos genéticos de plantas da Embrapa a normas internacionais de qualidade.

O BAG de Arroz e Feijão da Embrapa foi criado em 1975 e as atividades iniciaram no ano seguinte. Com um acervo de 27.006 acessos de arroz e 17.346 de feijão, é o maior banco ativo de germoplasma da Embrapa e preserva a maior coleção de arroz e feijão do Brasil. Nele, são encontradas sementes de cultivares; variedades tradicionais; linhagens mutantes; populações e exemplares de espécies silvestres; e parentes próximas do arroz e do feijão, coletadas no país e/ou recebidas dos mais diversos locais do mundo. A conservação e o uso sustentável desse acervo é fundamental para o futuro da pesquisa desses dois cultivos.

A Embrapa é responsável por um dos maiores sistemas de conservação vegetal do mundo. São 148 bancos ativos, de espécies de importância para a alimentação e a agricultura, fundamentais para o agronegócio e para a segurança alimentar da população brasileira. Envolve 29 unidades de pesquisa, de Norte a Sul do país, além de aproximadamente 70 instituições parceiras, totalizando mais de 300 pesquisadores.

Leia mais

Leia também